Sornoza sente a coxa e preocupa comissão técnica do Flu

O empate com o Bahia não foi o resultado esperado pelo Fluminense, que não conseguiu se aproximar da parte de cima da classificação do Campeonato Brasileiro já que o clube foi para 22 pontos e continua distante do G-4. Para piorar, o meia Junior Sornoza deixou a partida com fortes dores na coxa e passou a ser uma preocupação para a comissão técnica.

O equatoriano deixou o jogo contra o Bahia após choque com o goleiro Anderson. Ainda no estádio, o jogador fez tratamento com gelo e será reavaliado nesta segunda-feira.

A possível ausência de Sornoza será sentida pelos tricolores, pois o equatoriano só tem Daniel como reserva na posição. O jogador estava no Oeste-SP e foi requisitado pelo clube carioca. Outra opção para Marcelo Oliveira e mudar a formação da equipe ou improvisar outro atleta no setor.
O Fluminense terá a semana livre antes do próximo compromisso, contra o Internacional, na segunda-feira que vem, no Maracanã. Com 22 pontos, os tricolores estão na nona colocação do Campeonato Brasileiro. Já na Sul-americana o time carioca vive um momento melhor, já que venceu a partida de ida, diante do Defensor do Uruguai, pelo placar de 2 a 0.


Bloqueio de Scarpa

O imbróglio jurídico entre Gustavo Scarpa e o Palmeiras teve novo capítulo ontem. A juíza Dalva Macedo, da 70ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, atendeu solicitação do Fluminense pelo bloqueio de R$ 200 milhões do Verdão e do atleta. A quantia precisa ser depositada em até cinco dias.

O objetivo da determinação é assegurar o pagamento do valor referido no caso de o Fluminense ganhar ações futuras contra Scarpa. A determinação não altera a liberação do jogador de atuar pelo Palestra, garantida graças a um habeas corpus concedido pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Curiosamente, no texto redigido por Dalva Macedo, a juíza escreveu o numeral “R$ 200.000,00”, mas escreveu duzentos milhões de reais. Caso não aconteça uma correção, isso poderá servir de base para o departamento jurídico do Palmeiras entrar com recurso quanto ao caso.
O Palmeiras, por meio de seu departamento jurídico, se manifestou sobre o caso:

“O processo corre em segredo de justiça. A ordem judicial ainda não chegou ao conhecimento do Palmeiras, mas admira a ordem ter chegado ao conhecimento da imprensa antes de chegar ao conhecimento do próprio Scarpa. É preciso que fique claro que o Palmeiras não é parte nesse processo. O Palmeiras nunca se manifestou nem nunca chegou a discutir ou exercer qualquer ato de defesa nesse processo. Portanto, qualquer ordem em relação ao Palmeiras é claramente abusiva, excede completamente os limites processuais e não deve subsistir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − onze =