Sonho adiado: moradores do Boa Esperança só terão casas em 2019

Raquel Morais –

A entrega dos apartamentos para as vítimas do deslizamento do Morro da Boa Esperança, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, que matou 15 pessoas e deixou 22 famílias desalojadas foi prometida pelo prefeito Rodrigo Neves para hoje. No entanto, o desejo dos desabrigados em se mudar será adiado, sem data, porque o empreendimento Vivendas do Fonseca, no bairro homônimo, na Zona Norte, não tem previsão para ser inaugurado. A informação foi fornecida pela Caixa Econômica Federal, responsável pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

A presidente da Associação de Moradores do Morro da Boa Esperança, Leandra Neves, de 45 anos, informou que não recebeu notificação sobre a entrega das chaves dos apartamentos.

“Minha casa foi demolida pois estava em área de risco depois que o maciço desprendeu e não ficamos sabendo de nada. A comunicação com a Prefeitura está difícil e não estamos satisfeitos”, comentou.

A dona de casa Camila Martins, de 23 anos, disse que morava com o filho no Morro da Boa Esperança, mas com o acidente teve que ir morar com o namorado em Maria Paula, e não recebeu convite para conhecer a nova casa.

“Perdi a casa que eu morava, que era do meu pai, e isso mudou a minha rotina. Meu pai também teve que se mudar e alugou uma casa da comunidade Jacaré. Não estou na minha casa, não tenho notícias do que está para acontecer e também não tenho motivo para comemorar o Natal”, frisou a jovem, que perdeu sete pessoas da sua família com o deslizamento (avó, irmã, dois tios e três primos).

A auxiliar de creche Raquel Caetano, de 27 anos, tia de duas crianças que morreram por conta do deslizamento, disse que está no aguardo da entrega da sua nova casa no Badu, na Região de Pendotiba. Ela ainda explicou que quando esteve na reunião com as pessoas que receberiam os apartamentos, na prefeitura, foram dadas três opções de empreendimentos para eles escolherem: Badu, Morro do Castro e no próprio Fonseca.

No dia 14 de novembro, o prefeito Rodrigo Neves visitou o condomínio Vivendas do Fonseca e prometeu que hoje seria a entrega das 200 unidades do empreendimento. Em entrevista para A TRIBUNA, ele disse que queria devolver uma “perspectiva de um teto seguro, antes do Natal, para que eles (desabrigados) passem o Natal com a família em um ambiente que não seja precário. Não substitui a perda, mas a solidariedade dos niteroienses nessa ação de apoio às famílias vai possibilitar a reconstrução da trajetória desse momento difícil”, frisou.

A Prefeitura de Niterói foi questionada sobre essas opções, mas não respondeu os questionamentos da reportagem.

RELEMBRE O CASO
No dia 10 de novembro, o deslizamento de uma rocha matou 15 pessoas e deixou 22 famílias desalojadas após o desmoronamento no Morro da Boa Esperança, em Piratininga. A Prefeitura de Niterói se comprometeu a pagar, por um ano, o aluguel social de R$ 1.002, mediante a desocupação dos imóveis interditados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *