Socorro mais imediato nas ruas de Niterói

Marcelo Macedo Soares –

Quando acontece algum acidente ou uma pessoa passa mal nas ruas, na maioria das vezes um agente da Guarda Municipal é o primeiro a chegar no local. Uma parceria entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública e o Complexo Hospitalar de Niterói (CHN) está capacitando os membros da corporação através de um curso de primeiros socorros, com objetivo de melhorar a qualidade do atendimento inicial prestado às vítimas antes da chegada do socorro. A iniciativa faz parte de um conjunto de especializações coordenado pelo Departamento de Ensino e Pesquisa da instituição.
Divididos em grupos, os guardas municipais estão recebendo aulas práticas e teóricas sobre técnicas de primeiros socorros, que incluem a realização de procedimentos e manobras para controle de sangramentos e de suporte básico para vida, nos casos de paradas cardiorrespiratórias e afogamentos. Segundo o médico Alex Sander Ribeiro, coordenador de Emergência do CHN, o atendimento inicial serve para evitar que o estado do paciente piore até que a ajuda médica especializada chegue.

“Os profissionais da Guarda Municipal de Niterói, muitas vezes, são os primeiros a terem contato com pessoas que passam mal nas ruas ou sofrem algum tipo de trauma. Ter noções básicas de primeiros socorros é um conhecimento extremamente útil”, afirma Sander.

O cirurgião Hélio Machado Vieira Junior també ministra o curso – que conta com com o que há de mais moderno em procedimentos de intervenção – introduziu a iniciativa “Stop Bleed”(Pare de Sangrar) da “American College of Surgeons”( Colégio Americano de Cirurgiões), instituição da qual é representante no Brasil. Os agentes praticaram, após a parte teórica do curso, em manequins simuladores de trauma, formas de parar sangramentos, por exemplo, que em condições reais, podem levar uma pessoa a óbito antes mesmo do atendimento médico.

Da mesma forma, na segunda parte do curso, ministrada por Alex Sander Coelho, os servidores públicos aprenderam a identificar paradas cardiorrespiratórias e os procedimentos corretos a serem tomados, como o manejo do desfibrilador, antes da chegada do socorro médico, que podem garantir o tratamento e a plena recuperação dos enfermos.

“Com o curso temos a oportunidade de manter o efetivo da Guarda atualizado sobre os procedimentos operacionais de socorro às vítimas de acidentes. São procedimentos, muitas vezes, simples mas preponderantes para salvar vidas” afirma Gilson Chagas, secretário de Ordem Publica de Niterói.

A preocupação em prestar um primeiro atendimento de qualidade é fundamental, já que traumas causados por acidentes, violência ou autoagressão, estão entre as principais causas de morte em pessoas com menos de 40 anos. Anualmente, no Brasil, são registrados mais de 1 milhão de acidentes de trânsito, com cerca de 50 mil vítimas fatais e mais de 370 mil feridos, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Armas de fogo, armas brancas e quedas, sobretudo entre idosos, completam a estatística.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.