Sirenes de alerta de chuvas voltam a funcionar em São Gonçalo

Desligadas há mais de quatro anos por conta da crise no Estado, as sirenes de alertas de chuvas voltaram a funcionar em São Gonçalo. Ontem agentes da Defesa Civil foram capacitados para manusear o equipamento e partir de agora, as 25 sirenes em regiões consideradas de maior vulnerabilidade já podem tocar em caso de perigo. Os equipamentos fazem parte do programa de Proteção e Preparação de Comunidades contra Desastres Naturais no Estado do Rio de Janeiro, que contempla municípios mapeados com o aval do Departamento de Recursos Minerais (DRM).
As sirenes usadas são as mesmas que foram desligadas há quatro anos. Os equipamentos estão instalados nos bairros de Itaúna, Nova Grécia, Zumbi, Pita, Novo México, Tenente Jardim, Engenho Pequeno, Boa Vista, Venda da Cruz, Patronato, Porto Novo, Covanca, Gradim, Sete Pontes, Vista Alegre, Arsenal, Mutuaguaçu, Lindo Parque e Laranjal. Elas estão sendo reativadas pela empresa Grid Lab, que desde janeiro trabalha na manutenção e troca de componentes. A mesma empresa capacitou os agentes, que agora podem acionar os equipamentos remotamente.

“Essa capacitação é fundamental para garantir, de forma preventiva, que a população tenha a possibilidade de se abrigar em um local seguro em situações de risco. Essa parceria reafirma o nosso comprometimento, quanto governo, na garantia da proteção ao bem mais precioso: a vida das pessoas. Após esse momento de capacitação faremos a formação das equipes que irão ficar responsáveis pelo acionamento das sirenes e em seguida um planejamento com simulações e ações práticas junto à população”, disse o subsecretário de Defesa Civil, Antonio Haag.

As sirenes são utilizadas na possível mobilização da população em momentos de emergências. Com a reativação e atualização do software, o novo sistema permitirá que as equipes, além do acionamento das sirenes, produzam relatórios de monitoramento dos pluviômetros, monitoramento das chuvas, índices de precipitação com atualizações em tempo real, trazendo mais transparência e precisão a todo processo.

O sistema de alerta informa a população sobre o nível elevado de chuvas. Se a situação for mais grave, a Defesa Civil dará um alarme pelo sistema de sirene. Neste caso, os moradores devem se dirigir, para os locais de apoio, que estão sendo definidos nas comunidades. Se a sirene tocar, as pessoas devem reunir a família, pegar documentos e remédios necessários, desligar a chave da luz e o gás, e não voltar à casa se não tiver autorização da Defesa Civil.

Além da instalação das sirenes e dos pluviômetros, a Defesa Civil vem intensificando os trabalhos de prevenção como treinamento nas escolas; implantação de núcleos do órgão nas comunidades; mapeamento detalhado dos riscos geológicos e hidrológicos do município; e finalização do Plano de Contingência para as múltiplas ameaças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *