Sindicato exige vacinação imediata para rodoviários


A categoria dos rodoviários foi incluída no grupo prioritário para a imunização Pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, mas ainda não receberam nenhuma orientação de como devem proceder para receber a vacina. O Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) enviou ofício, nesta terça-feira (26/01), para o Ministério da Saúde cobrando a vacinação.

O ofício enviado também solicita intensa fiscalização nos locais onde as vacinas estão sendo aplicadas. Para impedir que pessoas usem influência política para receber a imunização, em detrimento dos grupos prioritários.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o sindicato foi comunicado sobre a morte de 36 motoristas, cobradores e despachantes, nos 13 municípios da área de atuação do sindicato.

Cerca de 2 mil rodoviários entraram em quarentena em algum momento, por suspeita ou contaminação da Covid-19. O Departamento Médico do Sintronac, também neste período, encaminhou para os serviços de saúde pública 516 profissionais com sintomas da doença.

“O Ministério da Saúde incluiu os rodoviários no grupo prioritário para a vacinação, mas não estabeleceu o planejamento para essa ação, como fez, por exemplo, com os profissionais de saúde. Assim, não sabemos nem qual documento apresentar nos postos de saúde para receber a imunização e, o mais importante, em qual momento da campanha a categoria poderá se vacinar. É óbvio que a imunização dos rodoviários está condicionada à presença da vacina. Mas o planejamento para a medida ser efetivada precisa ao menos de um planejamento prévio. Estamos falando de, somente em nossa base, 18 mil profissionais, o que exige 36 mil doses de vacina contra a Covid-19”, avalia Rubens dos Santos Oliveira, presidente do Sintronac.

O aplicativo de transportes Moovit divulgou pesquisa mostrando que em agosto do ano passado foi feita uma testagem rápida entre os rodoviários para detecção da infecção pelo coronavírus.

– 90,5%, ou seja, 33.186 profissionais, apresentaram resultados negativos

– 8,6% foi a taxa de resultados positivos. O que equivale a 3.163 dos profissionais.

– 0,9%, que são 343 rodoviários, teve o teste considerado inconclusivo.

– 6,9% dos trabalhadores que disseram não apresentar sintomas da Covid-19, testaram positivo


“No início da pandemia alertamos que os ônibus são vetores potenciais da doença. Além disso, são essenciais para o transporte de outras categorias profissionais. Portanto, os rodoviários merecem mais respeito da parte do poder público”, conclui Rubens Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + seis =