Sindicato de donos de postos protesta contra sistema de preços dos combustíveis

A atual política da Petrobras de efetuar flutuações quase que diárias nos valores dos combustíveis tornou extremamente confuso o cenário da comercialização dos produtos e, a um só tempo, está sacrificando os consumidores e caminha para tornar inviável a sobrevivência da maioria dos postos. A opinião é do presidente do Sindicato estadual dos Revendedores (Sindestado-RJ), Ricardo Lisbôa Vianna, preocupado com o agravamento do cenário de crise:

“Os governos estão resolvendo seus problemas de caixa com uma solução grotesca: simplesmente jogando às alturas os impostos sobre os combustíveis. E a isto se soma a ganância desenfreada das distribuidoras, que estão aproveitando a dança contínua de percentuais para reajustar, sempre para cima, os preços cobrados ao revendedor. Lá na ponta da cadeia de comercialização, o dono do posto está tendo que encomendar novas remessas de produtos sem saber quanto pagará por elas de um dia para o outro, e ainda por cima tende a ficar mal visto por parte da população, que tende a enxergá-lo como o grande causador do problema”, comenta Ricardo Vianna.

O presidente do sindicato destaca que muitos donos de postos estão caminhando para a falência, caso a situação não seja normalizada.

“O dono de posto não é o responsável pelos combustíveis custarem tão caro, mas esta é uma realidade que não interessa aos governantes nem às poderosas companhias distribuidoras. Nesse cenário, quem sai perdendo é o consumidor final, que tem que pagar caro; e também o dono do posto, que além de ser mal-visto acaba vendo despencar os lucros e o movimento de vendas do seu estabelecimento. Não é à-toa que problemas estão surgindo ao mesmo tempo em todo o país”, arremata Ricardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 2 =