Show online de Ithamara Koorax

Ithamara Koorax apresenta no dia 16 de outubro, às 20h, direto do palco do Teeatro Municipal de Niterói, o show “As Canções da Minha Madrinha Elizeth Cardoso”. O público poderá acompanhar a apresentação através do facebook do Teatro (facebook.com/ theatromunicipaldeniteroi). Há exatos 30 anos, Elizeth Cardoso se tornava a madrinha de uma nova cantora que estava começando na MPB: Ithamara Koorax.

Homenageando uma das maiores intérpretes da música brasileira, a cantora Ithamara Koorax, apresenta a live “As Canções Da Minha Madrinha Elizeth Cardoso”, revisitando a obra da “Divina”, uma das maiores cantoras que o Brasil já conheceu, que nesse ano que celebra o seu centenário. No projeto, com roteiro e direção musical e piano de Zé-Maria Rocha, Cezar Machado, na bateria e José Luiz Maia, no baixo, Ithamara apresenta canções emblemáticas da carreira da divina, passando por “Carta ao Tom”, (Toquinho e Vinicius de Moraes) “Canção de Amor” Chocolate e Elano de Paula ) “Manhã de Carnaval” (Luiz Bonfá e Antônio Maria) “Canção da manhã feliz” (Luíz Reis e Haroldo Barbosa) “Consolação” (Baden Powell e Vinícius de Moraes), “Deixa” (Baden Powell e Vinícius de Moraes), entre outras

A fluminense Ithamara Koorax, eleita a quarta melhor cantora do mundo pela revista americana Down Beat, considerada “a bíblia do jazz”, tem a trajetória de música intimamente ligada à Elizeth Cardoso. Logo no início de sua carreira, em 1988, ao fazer um show em São Paulo com Guinga e Paulo César Pinheiro, a “Divina” estava na plateia. No fim do espetáculo, ela subiu ao palco e fez à Ithamara tantos elogios que gerou intensa comoção na cantora.

Por coincidência ou destino, Elizeth sempre havia sido a sua cantora favorita, desde que ganhara, ainda criança, o LP “Canção do Amor Demais”, um dos discos mais marcantes de sua carreira. Daquele encontro em diante, Elizeth passaria a chamá-la de “gogó de ouro”. Algum tempo depois, no projeto “Vozes Para Os Anos 90”, no Rio Jazz Club, Elizeth fez questão de, publicamente, se intitular a madrinha de Ithamara. Além disso, convidou-a a participar daquele que, infelizmente viria a ser seu último disco, “Ary Amoroso”, lançado postumamente.

Desde então, Ithamara Koorax já trilhou muitos caminhos musicais e consagrou-se internacionalmente. Apesar de passear do jazz à música clássica, da bossa-nova à música eletrônica, Ithamara permanece sempre emocionalmente conectada à obra de sua madrinha Elizeth.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *