SG está com a taxa de ocupação de leitos de CTI em torno de 87%

De acordo com o mais recente levantamento da prefeitura de São Gonçalo, a cidade está com cerca de 87% de ocupação de leitos de CTI disponíveis na rede hospitalar da cidade. Com relação aos leitos de enfermaria, a ocupação atingiu a marca de 72%, dados que estão levando à mobilização para atendimento a crescente demanda.

Em informe, divulgado na manhã de segunda-feira (7) por sua assessoria, o prefeito José Luiz Nanci determinou a abertura de novos leitos nos hospitais de Retaguarda Gonçalense (antigo Menino Deus) e Franciscano Nossa Senhora das Graças (Hospital das Freiras), no bairro Lagoinha. As duas unidades devem disponibilizar mais 60 leitos, entre de enfermaria e CTI.

De acordo com outro informe, em Rio Bonito, o Hospital Regional Darcy Vargas, filantrópico, e único da cidade, está com 100% das UTIs para pacientes com Covid-19 ocupadas, o que corresponde 10 leitos. Sobre o número de enfermarias, o índice estava até o fim de semana em 47% (de 15 a 17 leitos) mas com tendência de crescimento na tarde de segunda-feira (7). “Todos os pacientes da UTI COVID são de Rio Bonito. Lembramos que o município continua em Bandeira Vermelha, de acordo com o Painel de Indicadores da COVID-19 do Estado do Rio de Janeiro, indicando um alto índice de contágio. Se puder, fique em casa ! Proteja-se! Respeite próximo !”, alertou uma postagem da assessoria da unidade nas redes sociais.

O estado continua registrando aumento de casos de Covid-19 e poucos leitos estão sendo disponíbilizados. Assim como ocorreu no fim do primeiro semestre do ano, familiares de pacientes estão recorrendo à Justiça para conseguir uma vaga em uma UTI. Na capital, no mês de novembro, durante levantamento do plantão noturno judiciário, 36 ações judiciais com pedidos de transferência para unidades hospitalares dedicadas à Covid foram formalizados. Esse número é o dobro do registrado no mês anterior (outubro).

A ocupação de leitos de UTI dedicados à Covid-19 na rede SUS estaria no limite. Na cidade do Rio de Janeiro, lotação está em torno de 92%, e nas enfermarias, em 88%. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), responsável pela regulação dos leitos, 452 pessoas aguardam transferência para leitos de Covid, sendo 204 para enfermaria e 248 para UTI. No último domingo (6), o estado do Rio atingiu a 23.131e 371.075 casos. “Nesta segunda-feira (07), a taxa de ocupação, considerando todas as unidades da rede estadual destinadas à Covid-19, está em 63% em leitos de enfermaria e 82% em leitos de UTI. No total, na rede, 472 suspeitos ou confirmados de coronavírus aguardam transferência para leitos de internação, sendo 220 para enfermaria e 252 para UTI, que podem ser regulados para diferentes redes, seja ela municipal, estadual ou federal”, informou em comunicado a SES, na tarde de segunda-feira (7).

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio (Cremerj) também confirma o alerta feito na semana passada, de que oúmero de profissionais disponíveis ao tratamento da Covid diminuiu nos últimos meses, sendo que os que estão trabalhando na chamada “linha de frente”estão sobrecarregados.

Na tarde de segunda-feira (7), o Ministério da Saúde anunciou que prorrogou, 1.420 leitos de UTI Adulto para atendimento exclusivo aos pacientes graves da Covid-19 em 17 estados brasileiros: Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Amazonas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Alagoas, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Tocantins e Maranhão. O investimento nas prorrogações é de R$ 68,1 milhões, para que estados e municípios façam o custeio dessas unidades pelos próximos 30 dias. As portarias que autorizam a prorrogação do custeio dos leitos foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) de segunda-feira (7). O órgão também acrescentou que já prorrogou 15.406 leitos de UTI em todas as regiões do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 7 =