SG é a 5ª região em notificação de tiroteios no estado

Em seis meses de operação, o aplicativo Fogo Cruzado revelou a alta ocorrência de tiroteios e uso de armas no Rio. Neste período foram 2.517 notificações de tiros/disparos de arma de fogo, uma média de 18 por dia. Foram registradas no aplicativo pelo menos 539 vítimas fatais e 570 feridos. O balanço semestral da ferramenta, lançada pela Anistia Internacional em julho de 2016, traz um compilado das informações consolidadas entre 00:00h de 05 de julho de 2016 a 23:59 de 04 de janeiro de 2017.

Algumas favelas e periferias da cidade do Rio e sua região metropolitana foram as que mais apresentaram registros de tiroteio ou uso de arma de fogo através do aplicativo Fogo Cruzado. Um alto número de armas em circulação, conflitos entre grupos criminosos, operações policiais que usam a lógica do confronto para combater o tráfico de drogas são fatores que podem explicar o alto índice de violência armada registrado pelo aplicativo. Segundo levantamento, São Gonçalo é a 5º região que mais notificou tiroteios/disparos de arma de fogo: 81, com pelo menos 17 mortos e 31 feridos. “A frequência de tiroteios no Rio de Janeiro é chocante. Esses primeiros seis meses do Fogo Cruzado revelam a escala e dimensão da violência armada na cidade e vêm suprir uma lacuna de dados específicos sobre o tema. O impacto dessa violência nas áreas mais afetadas da cidade, especialmente favelas e periferias, é enorme. Além das vidas perdidas, os moradores dessas áreas têm seu direito de ir e vir cerceados e sofrem com a interrupção dos serviços de saúde e educação quando há tiroteios”, comenta Renata Neder, assessora de direitos humanos da Anistia Internacional, acrescentando: “Em apenas seis meses, foram feitos mais de 50 mil downloads do aplicativo, o que mostra o interesse das pessoas em denunciar e incidir sobre essa realidade”.

O Complexo do Alemão, conjunto de favelas com cerca de 70 mil habitantes, ficou à frente de municípios inteiros no ranking de locais mais atingidos por tiroteios/disparos de arma de fogo. O bairro tem Unidades de Polícia Pacificadora desde 2012. No total, 115 registros de disparos de armas de fogo foram registrados por usuários, com pelo menos 15 vítimas fatais e 34 feridos (15 deles policiais). A 2º região onde houve maior número de registros foi Duque de Caxias, que tem 10 vezes mais habitantes (855 mil) e é 155 vezes maior (467 km²) que o Complexo do Alemão. O município da Baixada Fluminense teve 114 registros de tiroteios/disparos de arma de fogo, resultando em pelo menos 42 vítimas fatais e 49 feridos (8 deles policiais).

A área que ficou em 3º lugar foi a região da Penha, mais especificamente o Complexo da Penha, outra área com UPP e que é vizinha ao local com maior número de registros, o Complexo do Alemão. Nos seis meses, foram 111 registros de tiroteios/disparos de arma de fogo com 14 vítimas fatais e 22 feridos (10 deles, policiais). Já Nova Iguaçu registrou menos tiros, mas teve o maior número de vítimas fatais: pelo menos 54 mortos. No total, foram 85 tiroteios/disparos de arma de fogo no município, o que a coloca em 4º lugar no ranking total por número de tiroteios/disparos de arma de fogo. Houve ainda pelo menos 21 feridos. São Gonçalo é a 5º região que mais notificou tiroteios/disparos de arma de fogo: 81, com pelo menos 17 mortos e 31 feridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + treze =