Setor hoteleiro de Búzios segue em baixa e empresários ameaçam demitir

Wellington Serrano –

A expectativa era de que o ano de muitos feriados prolongados e o turismo doméstico em alta dessem um respiro para o setor hoteleiro de Búzios, que vem em baixa e acompanhando a crise desde 2014. Mas, ao contrário do que era esperado, nenhum desses fatores conseguiu inverter a queda nas taxas de ocupação nos hotéis do balneário. Os comerciantes estão reclamando de uma retração de 40% nas vendas e, como consequência, muitos estão fechando suas lojas, o que aumenta o desemprego.

De acordo com os representantes do setor, que não querem se identificar por medo de represálias, a redução era esperada, mas não na potencialidade que vem ocorrendo. “Não temos como investir em projetos de expansão e não apostamos em uma melhora no setor nos próximos três anos”, lamentou um empresário, que pediu para não ser identificado, alegando ação de uma milícia no setor.

Outro empresário ligado à Associação Náutica da cidade, explica que de fato a queda era algo previsto, mas ninguém do setor imaginava que os indicadores fossem vir tão ruins. Para ele, o principal motivo para o desempenho fraco é a destruição da principal fonte de empregos e renda que é o turismo, que ainda vem remando contra a crise político-econômica que o país vem enfrentando. “O turismo de nossa cidade está quase parando. Guiado por amadores, caminha, à velocidade de um velho e sucateado trolley, rumo ao caos”, destacou um comerciante.

O ex-prefeito da cidade, Mirinho Braga, lamentou a situação. “Búzios já foi a quinta cidade brasileira mais procurada por turistas estrangeiros, segundo o estudo Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo (MTur). Hoje, vemos os comerciantes fechando suas lojas, empresários sofrendo para manter seus negócios, altíssimo índice de desemprego. Esse é o retrato de nossa cidade”, lamentou Mirinho.

A moradora Marcia Fonseca disse que faltam eventos turísticos na cidade. “Cadê os casamentos na praia? Nunca criam as regras, nunca resolvem. Anos de reuniões e não chegam a um valor justo. Os casais querem casar com o pé na areia e ninguém incentiva a ideia”, reclamou.

Já o advogado Fábio Rezende, que mora no Centro da cidade, disse que o movimento de turistas é desanimador. “Um total abandono do setor turístico está deixando centenas de buzianos desempregados”, realçou.

Representantes atribuem a isso a falta de eventos na cidade que possam atrair o turismo de qualidade. “Equivocadamente, o governo trabalha com o turismo de massa, que causa problemas no trânsito, limpeza e vários tipos de poluição. É só andar pela periferia do município e podemos ver o quanto o desemprego tem atingido a população”, concluiu o ex-prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + dezesseis =