Sessão da Câmara de Niterói marca estreia de dois novos vereadores

A Câmara de Vereadores de Niterói ganhou mais dois vereadores nesta terça-feira (9). Assumiram os suplentes Dr. Nazar (MDB), que entrou no lugar de Rodrigo Farah (MDB), que agora é secretário de Relações Institucionais; e Jonathan Anjos (PDT) no lugar de Adriano Boinha (PDT), que assumiu a Regional da Ponta D’areia.

Nazar declarou, em seu primeiro pronunciamento na Casa, que chega com muita vontade de trabalhar por Niterói, principalmente em tempos de pandemia.

“Confesso que prefiro um bisturi na mão que um microfone. Estou entrando hoje para essa Casa com espírito de renovação, com muito gás, libido, vontade, transformação, construção. Momentos de incerteza, a gente vive um cenário que só era vivido há 200 anos, peste negra, gripe espanhola. É uma doença que todas as decisões que temos que tomar nessa casa dependem de um inimigo invisível, letal e com alto poder de mortalidade”, disse.

O novo parlamentar prometeu que diferenças ideológicas não podem impedir o bom andamento dos trabalhos legislativos.

“Quero dizer para a bancada de esquerda que, apesar de não estarmos do mesmo lado, isso não nos faz adversários, muito pelo contrário. Aquilo que nos une é muito maior do que aquilo que pode nos afastar”, afirmou o vareador.

Oriundo de uma das favelas de Niterói, Jonathan declarou que a Educação sempre foi importante em sua casa. E declarou todo o orgulho pelo seu lugar.

“Hoje é um dia especial e muito importante na minha vida, na vida da minha família e de toda a comunidade da Vila Ipiranga, onde vivo. Hoje a Vila está em festa, a favela venceu!”, disse.

Emocionado, o vereador estreante lembrou sua trajetória na favela e o seu povo.

“Participar deste parlamento é muito mais que um sonho, é uma missão. É a continuidade de um trabalho de longo prazo, que começou há 20 anos, quando eu era adolescente e já contribuía com as crianças da comunidade, para que tivessem as oportunidades que não tive. Participar deste parlamento proporciona que a Zona Norte tenha novas e boas oportunidades de desenvolvimento humano, social e econômico. É representar um povo nascido e criado na favela, compreendendo a importância de expandir suas conquistas, derrubando o muro invisível da segregação social”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 1 =