Sesi amplia atendimento em São Gonçalo em 60%

Raquel Morais –

O Serviço Social da Indústria (Sesi) São Gonçalo, no Centro, ganhou novas instalações e teve a grade de serviços ampliada nas áreas da educação e saúde, com investimento de R$ 8 milhões. A solenidade aconteceu nesta quarta-feira (30) e reuniu representantes da indústria e da Prefeitura de São Gonçalo. A novidade refletiu em mais duas turmas de Ensino Médio Regular (cursos técnicos de Automação Industrial e de Administração), que terão inscrições abertas em outubro, além de ter capacidade ampliada para 960 alunos por dia, um aumento de 60%.

O prédio ganhou dois ambientes, em dois andares, com uma nova infraestrutura voltada para o modelo educacional “Movimento Maker”. Segundo a entidade, a metodologia tem como principal objetivo proporcionar novas formas de produção, novos ambientes e possibilidades de se trabalhar aumentando a colaboração e compartilhamento de informações ao dia a dia dos alunos, a escola oferece aulas experimentais e contextualizadas a partir de temas atuais que afetam a sociedade.

“Em um momento de tantas incertezas é uma alegria ser o porta-voz de uma boa notícia. Apesar do cenário da crise econômica que afeta todos nós, o sistema Firjan expandiu a atuação em São Gonçalo. Este ano temos mais de oito mil empresas que fecharam as portas e mais de 70 mil pessoas desempregadas em uma crise aguda, que não poupa ninguém. Todos os espaços foram pensados para aplicação da cultura maker, onde jovens aprendem a desenvolver suas habilidades empreendedoras e inovadoras, além de pensamento crítico”, comentou Luiz Césio Caetano, presidente do Conselho da Firjan Leste Fluminense. “Vamos triplicar as vagas para turma de educação básica articulada com profissionalizantes até o próximo ano, mais uma turma de técnico de automação industrial e uma de administração”, completou.

A unidade tem capacidade de atender 960 alunos em sete salas de aula, uma sala Sesi matemática e um laboratório de química. O diretor superintendente do Sesi Rio de Janeiro, Alexandre dos Reis, lembrou os áureos tempos do complexo educativo em 2009, na época do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). “Vamos retomar essa imagem com o complexo de saúde e lazer com educação, para mudança de estilo de vida e assim ter um melhor aluno e um melhor trabalhador. É uma educação básica moderna atrelada as realidades dos novos profissionais, que o mercado exige e sempre vai exigir”, explicou.

“Precisamos de oportunidades para juventude do município. Essa iniciativa auxilia o município e toda região Leste Fluminense, no sentido de preparar mais, e melhor, essa mão de obra que a região necessita. Sabemos que estamos em um momento de estagnação econômica mas isso não vai durar para sempre, daqui a pouco volta a crescer e precisamos ter a população capacitada para conseguir ocupar melhores postos de trabalho”, pontuou o Marlos Costa, secretário de Desenvolvimento Social, Infância e Adolescência de São Gonçalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − onze =