Serviços são cancelados para associados da Uppes

Raquel Morais

O encerramento das atividades de psicologia e odontologia da União dos Professores Públicos do Estado (Uppes) está preocupando e atrapalhando centenas de profissionais filiados e seus dependentes. O cancelamento dos serviços aconteceu durante a pandemia e trabalhadores e usuários não tiveram tempo nem de encerrarem os tratamentos. Para denunciar o caso e pedir retorno dessas ocupações, está sendo montado um abaixo-assinado para reunir assinaturas e cobrar da direção um posicionamento.

A aposentada Daisy Ritter, 60 anos, é usuária do Uppes há 20 anos e usava os dois serviços.

“Eu e minha filha sempre nos tratamos no sindicato. Os serviços eram excelentes e com preços justos. Estão fazendo uma falta enorme. Na pandemia, fazendo o isolamento social, estou precisando de apoio psicológico e não posso fazer”, lamentou.

Uma das dentistas que fazia atendimento na Casa do Professor’, Janice Lobosco, trabalhava há 22 anos e foi mandada embora, em meio a pandemia, sem explicações.

“A direção disse que a auditoria precisava cortar despesas. Era um serviço maravilhoso. Estava lá há 22 anos atendendo e deixei muitos pacientes com tratamento interrompido. Eu tenho consultório e na verdade estou conversando com esses usuários para dar continuidade aos procedimentos, mas não consigo manter os descontos. Acho isso tudo uma grande desconsideração com os profissionais e com pacientes filiados”, contou a dentista que disse que antes da pandemia do coronavírus atendia de oito a 10 pacientes por dia.

“Precisamos nos informar dos fatos que vem acontecendo em nosso sindicato. Que participação nós, professores, temos na administração desta instituição? Estamos sem dentista e toda equipe foi demitida. Por que? Nossa presidente está afastada por causa da pandemia e quem está responsável pela administração? São questões que precisam ser explicadas”, indagou uma professora aposentada que não quis se identificar.

De acordo com o manifesto são muitos professores aposentados e sindicalizados que se utilizam da qualidade do serviço odontológico que vem sendo oferecido pela Uppes pelo atual quadro de funcionários do atendimento odontológico. O documento solicita que a demissão do quadro de funcionários seja revista e reconsiderada uma decisão que poderá afetar drasticamente a vida dos professores que dele se utilizam.

“Certos da compreensão e do bom senso daqueles que sempre estiveram à frente das lutas por melhores condições de vida e segurança dos profissionais da educação, solicitamos que os profissionais sejam mantidos pela sua experiência, qualificação e competência”, diz um trecho.

A direção da Uppes foi procurada, mas até o fechamento desta edição não se manifestou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 12 =