Sérgio Moro aceita convite e será ministro da Justiça

O juiz Sérgio Moro aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para comandar o ministério da Justiça. O magistrado se reuniu por cerca de 1h30 com Bolsonaro na casa dele, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Na saída, Moro tentou conceder uma entrevista, mas por conta da confusão, desistiu.

Em nota oficial divulgada após o encontro, Sérgio Moro diz que a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e contra o crime organizado superou o pesar de abandodar 22 anos de magistratura.

“Fiz (aceitar o convite) com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito a Constituição, a lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão”, diz um trecho da nota.

Segundo Moro, a Operação Lava Jato continuará em Curitiba. “Para evitar controvérsias desnecessárias, devo, desde logo, afastar-me de novas audiências, acrescentou.

Natural de Maringá (PR), Sergio Fernando Moro, além de magistrado é escritor e professor universitário. Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Maringá, tem mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Paraná. É juiz federal desde 1996, com especialização em crimes financeiros.

No julgamento do mensalão, Moro auxiliou a ministra Rosa Weber, no Supremo Tribunal Federal (STF).

Sergio Moro é juiz da 13ª Vara Criminal de Curitiba,responsável pela primeira instância da operação Lava Jato.

Confira a nota na íntegra

Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Apos reunião pessoal na qual foram discutidas politicas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito a Constituição, a lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na pratica, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava Jato seguira em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes.

(Com informações da Agência Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =