“Serei um soldado do partido”, diz Rodrigo Neves

Anderson Carvalho –

Depois de um ano e dez meses no Partido Verde (PV), onde se filiou após sair do PT, em fevereiro do ano passado, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves ingressou nesta terça-feira (12) no PDT e será coordenador no Estado da campanha do pré-candidato a presidente pelo partido, Ciro Gomes, que também compareceu ao evento, no restaurante Seu Antônio, no Cafubá, reduto de pedetistas e frequentado por Leonel Brizola e Darcy Ribeiro, quando vivos. Durante a filiação, Neves garantiu que não disputará o Governo do Estado em 2018 e continuará na prefeitura até o ano de 2020, quando termina o seu segundo mandato.

Acompanhado de Ciro Gomes e do presidente regional e nacional do PDT, Carlos Lupi, Neves disse que será um “soldado do partido”, percorrendo os municípios fluminenses pela candidatura de Ciro. “Foram mais de nove meses de conversa. Não era uma decisão tática, circunstancial, muito menos eleitoral. É uma decisão de vida. Cheguei à conclusão que era hora de tomar decisão. Após conversar com o Lupi. Fiz opção de concluir o meu mandato até 2020 em Niterói. Não é fácil de tomar decisão diante das possibilidades eleitorais. A candidatura de Ciro é viável. O Ciro está preparado para conduzir o nosso país. Uma experiência extraordinária como ministro da Fazenda. Foi governador do Ceará que é hoje um estado arrumado. Vou para ajudar o Ciro e o PDT”, afirmou Neves.

O prefeito lembrou que tentou ir para o PDT em fevereiro de 2016, quando acabou indo para o PV. Na ocasião, Felipe Peixoto era ainda filiado ao PDT e queria também disputar a prefeitura. Peixoto saiu do partido e foi para o PSB. Neves teve o apoio do PDT na sua campanha de reeleição. “Em 2016, a gente namorou e não casou. Houve obstáculos intransponíveis na época. A opção foi bem acolhida pelos meus companheiros do PV, que vão continuar participando do governo. Estava claro que naquele momento era opção tática e estratégica”, contou, acrescentando que vai criar o Fundo de Estabilização Econômica e Anti Cíclica, uma espécie de poupança para os próximos anos.

Lupi citou Leonel Brizola e afirmou que o fundador do PDT estaria orgulhoso de ter Neves como filiado. “O velho Briza, lá em cima, está orgulhoso de ver este PDT receber o Rodrigo Neves”, declarou.

Ciro Gomes elogiou a decisão de Rodrigo e está confiante de vencer as eleições presidenciais de 2018. “Você não precisava mudar de partido. Não vai disputar nenhuma eleição. Faz provavelmente a melhor administração do país em números. Por aí afora a receita pública brasileira está despencando e são raros os municípios brasileiros que honram a folha de pagamento. Estou tomando nota. Na minha mente serei o futuro presidente do Brasil. Sei bem o que me espera. Serei um parceiro de primeira hora e você será sempre lembrado. Vou tentar apresentar ao país um projeto alternativo”, prometeu.

Jorge Roberto Silveira se licencia
O ex-prefeito de Niterói Jorge Roberto Silveira, pedetista histórico e com quatro mandatos no município, anunciou também nesta terça que vai se licenciar do PDT, devido ao ingresso de Rodrigo Neves. “Não tem coerência ele (Neves) entrar no partido. Fez críticas muito duras aos governos pedetistas. Uma coisa é o PDT aceitar entrar em um debate eleitoral e fazer aliança. Outra coisa é a entrada dele no partido. O eleitor não é idiota. Ficarei afastado por tempo indeterminado”, informou.

Jorge Roberto comunicou na segunda-feira à noite a decisão a Lupi. Na terça, na filiação de Neves, o dirigente comentou: “Eu sinto falta de um companheiro aqui. Sou amigo há mais de 25 anos do Jorge Roberto Silveira. Ele volta daqui a pouquinho, vocês vão ver”, disse, acrescentando que entende o “momento de reflexão do ex-prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *