Sequência ruim do Fluminense coloca pressão sobre Levir e o elenco

O Fluminense não vem bem na reta final do Campeonato Brasileiro. Perdeu três dos últimos quatro jogos que disputou. Dos últimos 12 pontos possíveis, conquistou apenas um e viu alguns rivais abrirem distância no G-6, em busca de uma vaga na Copa Libertadores.

O título, que chegou a ser sonho do clube, não é mais realidade e, se nada for feito rapidamente, até a vaga no torneio continental será perdida. Essa situação vem preocupando a diretoria e até mesmo os membros da comissão técnica.

O presidente Peter Siemsen vem sendo cobrado por alguns conselheiros a ter uma atitude mais enérgica em termos de cobrança. Se posicionar em relação ao técnico Levir Culpi e aos demais membros da comissão técnica para mostrar seu descontentamento com os últimos resultados. A ideia é tentar dar um choque nos jogadores, para que nas seis rodadas finais o time reencontre o caminho das vitórias.

A própria situação de Levir Culpi não é tranquila. Sem a conquista de uma vaga na próxima Copa Libertadores, e com a eleição presidencial no dia 26 de novembro, dificilmente ele será mantido no cargo para 2017. Uma demissão neste momento não é cogitada, pois o clube entende que iria apenas aumentar a pressão sobre o elenco.

Ao longo da semana, é esperado que o treinador dê algumas atividades no sentido de corrigir erros que estão se tornando frequentes. Por exemplo, a falta de pontaria da equipe, que consegue criar boas jogadas, mas peca nas finalizações. Isso ficou evidente no empate por 1 a 1 com o Coritiba, quando o Tricolor jogou a maior parte do tempo com um homem a mais e, mesmo assim, não conseguiu vencer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =