‘Senhorzinho das Armas’ é preso em Niterói

João Filipe Barbieri, um dos maiores traficantes de armas do mundo, foi preso no bairro de Piratininga, em Niterói, na manhã desta quarta-feira (21). O enteado do “Senhor das Armas”, como é conhecido o padrasto Frederick Barbieri. João estava solto desde novembro de 2020, graças a um alvará de soltura falso.

Ele foi localizado em um imóvel no bairro niteroiense em ação conjunta entre a Divisão de Capturas da Polícia Interestadual (Polinter) e a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Antes de ser encaminhado novamente ao sistema prisional, Barbieri será levado à Cidade da Polícia, no Rio de Janeiro.

Assim como seu padrasto, que está preso em Miami, nos Estados Unidos, João também é considerado um dos maiores traficantes de armas do mundo. Ele estava preso em Bangu, desde 2017, cumprindo pena de 27 anos de prisão por tráfico internacional de armas e associação para o tráfico.

Segundo a Polícia Civil, João Filipe Barbieri era um dos principais integrantes da quadrilha responsável por contrabandear armas para o Brasil, a fim de abastecer o crime organizado. A organização criminosa foi responsável por enviar milhares de fuzis para o Brasil. As armas eram escondidas em aquecedores de piscina.

INVESTIGAÇÕES COMEÇARAM APÓS FUGA

Em novembro de 2020, João Filipe saiu pela porta da frente do complexo prisional de Bangu, Zona Oeste do Rio. Ele foi um dos beneficiados por um esquema para emissão de falsos alvarás de soltura. Desde então, o criminoso estava foragido.

A Secretaria de Administração Penitenciária abriu uma investigação sobre o escândalo e, ao longo dos últimos meses, os alguns dos detentos soltos irregularmente foram sendo novamente capturados. O mais recente foi João Victor Roza, comparsa de João, destino na última segunda-feira (19).

As investigações e diligências para capturar Barbieri ocorreram por meio de troca de informações da Polícia Civil com a Secretária de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Desde então, os agentes monitoraram o criminoso e descobriram seu esconderijo.

– A prisão foi muito importante e foi uma resposta rápida da Polícia Civil, uma vez que não poderíamos deixar esse criminoso em liberdade para, consequentemente, voltar a abastecer comunidades do Rio de Janeiro com armas de fogo – destacou o diretor do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE), delegado Felipe Curi.

De acordo com o titular da DC-Polinter,delegado Mauro César, o bandido esteve em São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo antes de voltar ao Rio para tentar receber uma quantia em dinheiro.

– Com o desmantelamento do esquema, o criminoso acabou ficando sem dinheiro e voltou para cobrar uma dívida de uma negociação antiga. As equipes monitoraram e esperaram o melhor momento para prendê-lo, sem nenhum efeito colateral – pontuou Mauro César.

Já o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Raphael Montenegro, destacou a integração e a troca de informações de inteligência entre a Polícia Civil e a Seap, que culminaram na prisão de Barbieri e de outros bandidos envolvidos no esquema de emissão dos falsos alvarás e na desarticulação da quadrilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =