Sem rumo na Faetec

Geovanne Mendes –

Não, não teve aula! Assim foi a segunda-feira [31] alunos da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) que ao contrário dos outros 660 mil alunos da rede estadual de ensino, que retornaram às salas de aula depois das férias de julho, na Faetec o recesso continua. Em Niterói, o Escola Técnica Estadual Henrique Lage, no Barreto, zona norte da cidade, manteve os portões fechados para os alunos. Os funcionários concursados e terceirizados estavam de braços cruzados na portaria, sem saber o que fazer, já que estão há quatro meses sem receber um centavo da instituição, muitos sem ter onde pedir socorro, estão passando fome.

“Eu não tenho mais o que comer em casa, sou terceirizada, há anos trabalho nesta escola e mesmo assim não temos a menor sensação de que este pesadelo irá terminar”, disse uma inspetora da escola, que por medo preferiu não ter a sua identidade divulgada.

Correndo o risco de ser preso por atraso na pensão alimentícia, o professor de informática, Abel Júnior, de 52 anos, é puro desespero. Pai de uma menina de 8 anos, Abel que há 18 anos trabalha na instituição diz que jamais passou por uma situação como a vivida nos tempos de hoje.

“Sinto que vivemos um momento de terror. A comida acabou, as contas chegaram e estão atrasadas. Infelizmente sobramos e pagamos para que alguns funcionários comissionados, no alto dos gabinetes, continuem ganhando e usufruindo do dinheiro público, graças ao apadrinhamento político, o que não ocorre aqui. Com ou sem aula, estamos aqui. É tudo tão crítico que até a alimentação dos nossos alunos foi cortada”, denuncia o professor.

Por nota, a Faetec informou que vem negociando com as Secretarias de Estado de Fazenda e de Governo os pagamentos em atraso dos fornecedores e de mão de obra terceirizada com o objetivo de evitar o atraso na volta às aulas.

“Até o momento, não houve a liberação dos recursos. Após diálogo com os docentes, diretores de escolas, sindicato e a comunidade de pais e alunos, a instituição decidiu adiar o retorno das aulas, tendo em vista que não há como manter o funcionamento das unidades. A Faetec informa que o calendário da Rede para o ano letivo de 2017 será ajustado considerando o prolongamento, a fim de garantir o cumprimento de dias letivos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =