Sem radares, mortes em estradas podem subir, diz Witzel

Wellington Serrano –

O governador Wilson Witzel se posicionou ontem sobre o projeto aprovado na Alerj que proíbe a utilização de radares de velocidade estáticos, móveis ou portáteis, que não possam ser visualizados pelos motoristas. Para Witzel, é bem possível que o número de mortes em estradas do Rio de Janeiro possa subir.

O governador afirmou que respeita o parlamento, mas afirmou que terá atenção sobre o projeto que mexe com a velocidade nas estradas. “Acho que as discussões são sempre bem-vindas. O que tem que ser levado em conta é que quando se tem buraco a velocidade é menor. No entanto, depois das obras, as pessoas acham que a estrada vira pista de corrida. Então, em qualquer lugar do mundo tem que haver parâmetros. Há algumas estradas que a gente libera a velocidade, como na Alemanha, mas tem que ser planejado”, realçou.

Witzel alertou para as estradas do estado que passam por dentro de cidades e disse acreditar que os engenheiros de trânsito não devem estar satisfeitos com essa mudança. “Não sou especialista em trânsito, mas sim em Direito Penal, mas acredito que o índice de acidentes pode aumentar”, declarou o governador.

Segundo Witzel, o processo decisório político precisa ser muito bem pensado. “Precisamos pensar se essa é uma vantagem para a população que aparentemente pode não ser pega no radar, mas ali na frente pode perder a vida e o preço pode ser muito mais caro com o gasto público nos hospitais, resultado dos altas velocidades nas estradas. Por isso, é preciso muito cuidado quando se mexe em alguns parâmetros”.

Ele ressaltou que vai avaliar o projeto com os especialistas para saber se irá vetar ou sancionar. “Se não tiver a segurança adequada, vou pedir licença ao parlamento e exercer o meu direito constitucional de vetar o projeto, mas advirto para os parâmetros para lá na frente não sermos surpreendidos com mais violência no trânsito. Meu governo não é favorável ao caráter arrecadatório, luto pela vida das pessoas. Fica aí a dica”, concluiu.

2 thoughts on “Sem radares, mortes em estradas podem subir, diz Witzel

  • 25 de outubro de 2019 em 19:19
    Permalink

    Até concordo com limitação de velocidade acima de 60Km, mas limitar nas estradas a velocidade em 40 ou 50 Km hora é criar industria de multa. Os atuais veículos por sua tecnologia sofrem maior desgaste principalmente no câmbio e retomadas e o consumo de combustível aumenta consideravelmente. Andar com um veículo de 142 CV a 40/50 kmh é absurdo.

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2020 em 21:53
    Permalink

    Já que está tão preocupado com mortes deveria melhorar as estradas. Buracos, falta de sinalização, faixas apagadas… Se construísse umas 10 passarelas na RJ 104 já ajudaria os moradores que tem que atravessar em meio aos carros. Este governador oportunista Andr apenas lucrar!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =