Seleção Brasileira é favorita ao pentacampeonato no Rip Curl WSL Finals

O Rip Curl WSL Finals abre amanhã (9) o prazo para definir os campeões mundiais de 2021, que vai até 17 de setembro em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos. Pela primeira vez em 45 anos de história os títulos serão disputados entre os top-5 e as top-5 do ranking, em um sistema de baterias ‘mata-mata’, no melhor dia do mar nas ondas de alta performance de Lower Trestles. A seleção brasileira da WSL é favorita para conquistar o pentacampeonato mundial masculino, com Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo, liderando o ranking das sete etapas do World Surf League Championship Tour 2021. Já Tatiana Weston-Webb é a vice-líder e tenta o inédito título verde-amarelo feminino.

São dez concorrentes aos títulos no total, que participaram, na terça-feira (7), de uma cerimônia de apresentação do Rip Curl WSL Finals e falaram sobre as suas expectativas para o evento com este novo formato, que será inaugurado pela World Surf League nas ondas de Lower Trestles.

“Ganhar o terceiro título mundial é o meu maior objetivo”, disse Gabriel Medina, campeão mundial nas temporadas de 2014 e 2018. “A emoção de conquistar o título é incrível. Todos os surfistas que eu mais admiro ganharam três títulos, então eu realmente quero fazer parte desse grupo. Eu sei que vai ser difícil, mas tenho treinado bastante, surfado todos os dias e me preparado muito forte para que isso aconteça aqui.”

“Esse tem sido um ano muito especial para mim”, disse o atual campeão mundial, Ítalo Ferreira, que recentemente conquistou a primeira medalha de ouro da história do surfe nas Olimpíadas. “Todos esses surfistas que estão aqui são uma grande inspiração para mim e estou muito animado para competir com eles neste próximo desafio da minha carreira.”

Tatiana Weston-Webb falou sobre esse momento especial do Brasil no surfe mundial: “Seria uma honra para mim estar no pódio com qualquer pessoa, mas será muito melhor se for com um brasileiro também. Para o nosso país seria marcante ter dois campeões mundiais, no masculino e feminino. O Gabriel (Medina), o Ítalo (Ferreira) e o Filipe (Toledo), me dão muita inspiração e seria uma honra estar ao lado deles no pódio.”

“Sinto que é uma grande oportunidade para mim e será incrível estar no pódio com o troféu de campeão”, afirma Filipe Toledo, que mora em San Clemente e conhece bem as ondas de Trestles. Ele, inclusive, venceu a última etapa do CT disputada em 2017, no local. “Sei que ainda há muitos desafios pela frente neste evento, mas tenho treinado forte e estou curtindo ao máximo meu tempo aqui. Agora é só esperar por boas ondas, a previsão parece ótima e só quero me divertir.”

Previsão das Ondas – As previsões do mar indicam, no momento, que as ondas devem ficar na altura do peito nos primeiros dias do período do Rip Curl WSL Finals e podem aumentar mais entre os dias 11 e 12, devido à uma tempestade perto da Nova Zelândia. Também aparece uma tempestade mais forte se desenvolvendo no Pacífico Sul na semana seguinte, enviando um swell potencialmente maior entre os dias 13 e 15, com direção de sul-sudoeste, que é a melhor para produzir boas ondas em Lower Trestles.

Pentacampeonato – O Rip Curl WSL Finals vai inaugurar um sistema ‘mata-mata’ para definir os campeões mundiais de 2021. Os líderes dos rankings terão a maior chance e decidirão os títulos em uma melhor de três baterias, então, Gabriel Medina está a dois passos de registrar seu nome em um seleto grupo de apenas cinco surfistas que foram campeões três vezes nos 45 anos do Circuito Mundial: Kelly Slater, Mark Richards, Tom Curren, Andy Irons (in memoriam) e Mick Fanning.

Medina foi o primeiro brasileiro a conseguir o título em 2014 e repetiu o feito em 2018. Curiosamente, as duas conquistas foram seguidas por bicampeonatos do Brasil, com Adriano de Souza em 2015 e Ítalo Ferreira em 2019. Agora, o pentacampeonato brasileiro pode ser sacramentado por um igualmente inédito tri consecutivo.

Seria a coroação da excelente temporada da “Seleção Brasileira da WSL” em 2021, chegando nas finais das sete etapas e ganhando cinco. Inclusive, todas as quatro disputadas na Austrália, com Gabriel Medina (Sidney e Rottnest Island), Ítalo Ferreira (Newcastle) e Filipe Toledo em uma dobradinha brasileira no alto do pódio com Tatiana Weston-Webb, em Margaret River. 

Disputa dos títulos – Filipe ainda ganhou a etapa do Surf Ranch, quando confirmou o terceiro lugar no ranking. Ele será o primeiro brasileiro a competir no Rip Curl WSL Finals e seu adversário sairá do confronto entre o quarto e quinto colocados, o americano Conner Coffin e o australiano Morgan Cibilic. Quem passar dessa bateria do Filipe, enfrentará o vice-líder, atual campeão mundial e medalhista de ouro nas Olimpíadas, Ítalo Ferreira, com o vencedor avançando para decidir o título mundial de 2021 em uma melhor de três com Gabriel Medina.

Na categoria feminina, a batalha começa com a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore contra a francesa Johanne Defay. Quem passar, enfrenta a outra concorrente da Austrália no Rip Curl WSL Finals, Sally Fitzgibbons. Esta disputa define a adversária da brasileira Tatiana Weston-Webb no confronto que vai apontar a finalista na decisão do título com a havaiana Carissa Moore, também em uma melhor de três baterias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 18 =