Segurança no Maracanã é tema de debate

Após episódio de confusão ao longo do Campeonato Carioca, a segurança em jogos no estádio do Maracanã esteve no centro de discussão durante reunião entre representantes do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e Polícia Militar (PM). A ideia era discutir o planejamento operacional para o restante da temporada de 2022.

Durante o encontro, o comandante do Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (BEPE/PMERJ), Tenente-coronel Hilmar Faulhaber, e o comandante do Comando de Policiamento Especializado (CPE/PMERJ), coronel André Henrique, relataram quais as principais dificuldades para o policiamento nos dias de jogos.

Ainda segundo o MPRJ, as torcidas organizadas banidas e o aperfeiçoamento da articulação com outras instituições estão entre os principais desafios. O coordenador de Segurança Pública do MPRJ, Reinaldo Lomba, explica que o objetivo do MPRJ é identificar as ações necessárias para resolver essas questões e, a partir disso, aproximar os órgãos responsáveis para viabilizar a adoção das medidas de prevenção.

O encontro foi mais uma das reuniões marcadas para retomar o Grupo de Trabalho Técnico do Complexo do Maracanã (GT Maracanã), formado por MPRJ e diversos órgãos e entidades diretamente envolvidas na segurança, mobilidade, planejamento, operacionalização e realização dos jogos de futebol.

Reunião com a FERJ

Na terça-feira (29), o MPRJ se reuniu com a FERJ para tratar do retorno e da ampliação do programa de classificação de riscos para jogos no Estádio do Maracanã. Na reunião foi definido o retorno do GT Maracanã. O procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos recebeu Rubens Lopes, presidente da FERJ, em seu gabinete no edifício-sede do MPRJ, no Centro do Rio.

O próximo passo é implementar novamente a classificação de riscos no Estádio do Maracanã. Através dessa metodologia, desenvolvida pelo GATE-MPRJ, os órgãos responsáveis pela organização, segurança, mobilidade e ordem pública do Maracanã conseguem definir antes de cada evento todo o conjunto de medidas a serem adotadas de acordo com o bandeiramento de riscos da partida.

A escala varia entre as “bandeiras” verde, amarela, laranja e vermelha, indo do menor para o maior grau de perigo. Os critérios de classificação e manuais de procedimentos em conjunto ajudam a prever possíveis crises e predefinir quais as respectivas soluções, em prol da melhor organização dos eventos, bem-estar do público e garantia de segurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.