Segurança ainda mais ágil em Niterói

Geovanne Mendes –

Até o 17 de abril o 12º BPM deverá se transformar num verdadeiro quartel general da vigilância. Isso porque a unidade se prepara para receber a central de monitoramento de uma ONG, a Viver Bem, que tem 300 câmeras instaladas por toda Niterói e que atualmente cede as imagens para o Centro Integrado de Segurança Pública, o Cisp. A organização não-governamental que investiu R$ 6 milhões nessa tecnologia.

A parceria irá permitir à Polícia Militar ver, a qualquer hora, crimes de rua, acidentes de trânsito, incêndios e até falta de energia. Isso agilizará o encaminhamento de viaturas, elaboração de operações policiais e até mesmo o acionamento de autarquias e concessionárias, como NitTrans e Enel.

De acordo com o diretor da Viver Bem, Felipe Reis, nesta nova parceria com o 12º BPM, um funcionário da ONG e três policiais militares ficarão 24 horas monitorando as câmeras através de monitores que já foram instalados na sala de operações do batalhão. Inicialmente serão disponibilizadas as imagens de 160 das 300 câmeras da ONG em Niterói.

“Nosso projeto é interligar o batalhão de Niterói com o de São Gonçalo (7º BPM) através de um sistema de tecnologia que envolve telefonia e transmissão de dados via internet. Não tenho dúvidas de que com esse sistema as ocorrências policiais serão mais dinâmicas, o que refletirá em mais segurança para o niteroiense”, disse o diretor da ONG.

A organização também irá instalar a sua rede de telefonia nos DPOs do Barreto, Cafubá, Piratininga e Camboinhas. Haverá também uma integração e troca de informações com as polícias federal e rodoviária federal, civil, bombeiros e defesa civil.

Animado com a nova parceria, o coronel Márcio Rocha, comandante do 12º BPM, diz que, com a entrega da nova sala de operações e gerenciamento de crises, a polícia irá ganhar em velocidade e as operações se tornarão mais dinâmicas, já que haverá uma comunicação entre a sala de monitoramento e as viaturas policiais.

“É com muita felicidade e expectativa que aguardamos o monitoramento das ruas da cidade dentro do batalhão. Teremos um verdadeiro trabalho de inteligência. Poderemos agir com mais velocidade e ainda organizar as equipes em locais estratégicos. Por exemplo, se ocorre um roubo de veículo no centro de Niterói em uma das vias que possui monitoramento, essa ocorrência será informada às viaturas que estão na região”, comemorou Rocha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 20 =