Seeduc suspende a partir de segunda-feira aulas presenciais em Niterói, São Gonçalo e Itaboraí

A Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) informou através de um comunicado, emitido na tarde de hoje, que a partir de segunda-feira (30) estarão suspensas as aulas presenciais nos municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, que entraram em bandeira vermelha, classificação de alto risco para a Covid-19.

“Também não haverá atividades pedagógicas nas escolas da rede estadual de ensino localizadas na capital e em Angra dos Reis, Duque de Caxias, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Porto Real, e Seropédica, que estão agora em estágio laranja de contágio. Nessas cidades, o ensino passará a ser exclusivamente remoto”.

De acordo com a Seeduc, mesmo sem aulas presenciais, todas as escolas da rede estão abertas, em horários adaptados, e já orientados, para que os estudantes retirem o material didático, além do kit alimentação. O ensino presencial seguirá em quatro municípios, somando 14 unidades escolares e com a possibilidade de adesão de aproximadamente mil alunos. “São eles: Casimiro de Abreu, Engenheiro Paulo de Frontin, Natividade, e Sumidouro. As atividades presenciais acontecem para alunos da 3ª série do Ensino Médio e de Educação de Jovens e Adultos (EJA – Módulo IV), que optarem por esse retorno”, informou a Seeduc.

A chamada Região Metropolitana II entrou no estágio de bandeira vermelha para alto risco para a Covid-19, em anúncio feito pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). As cidades que compreendem a região (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Silva Jardim, Tanguá e Rio Bonito) estão em alerta vermelho, com base na décima edição do Mapa de Risco da Covid-19.

Segundo a SES, ao todo, 12% dos moradores do estado residem na Região Metropolitana II. Na edição anterior do Mapa, divulgada no início do mês, nenhuma região apresentava alto risco (bandeira vermelha). Na bandeira vermelha, além das medidas da bandeira laranja, deve-se suspender as atividades econômicas não essenciais e definir horários diferenciados nos setores econômicos para reduzir aglomeração nos sistemas de transporte público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 1 =