Secretário de Segurança evita falar de aumento de efetivo

Wellington Serrano –

O secretário de Segurança do Estado, Antônio Roberto Cesário de Sá, esteve na noite desta quarta-feira (24) na OAB/Niterói, para falar sobre o tema Segurança pública, e sua polícia, durante palestra no auditório da entidade. O evento foi coordenado pela Comissão de Segurança Pública da subseção, presidida por Raffaela Loureiro Cupello.

“Essa reflexão da sociedade é importante para que comecemos a refletir sobre a segurança pública e de que forma a polícia e a sociedade tem que agir para que a gente ande sempre juntos”, disse.

Para o comandante do 12º BPM de Niterói, coronel Marcio Rocha, a cidade foi prestigiada com a visita do secretário estadual. “Chega num momento importante no Estado e em Niterói. O evento vem a calhar pela reflexão da segurança pública. Passamos período de quase dez anos de pacificação e tanto sangue já derramado já valeu a pena na maneira diferente de buscar a paz” realçou o comandante.

Para o delegado Sergio Caldas, o evento é importante para a interação das polícias civil e militar. “Temos que evoluir para conseguirmos a missão de reduzir os índices de violência , como aconteceu em São Gonçalo, através de um trabalho sério, temos que atuar na apreensão das armas que chegam de fora”, afirmou.

Segundo o secretário, o Rio de Janeiro vive um cenário muito complexo com o crime atacando ônibus, delegacias, gabines de hotéis e armas dos policiais. “Para se ter uma ideia, no ano de 2016, foram 60 mil mortos por crime intencional no Brasil inteiro. O Estado do Rio ficou na posição de 16º lugar entre as cidades mais perigosas com 4.200 mortos”, lamentou.

Antônio Roberto Cesário de Sá que disse ser a favor da ressocialização e contra a política de encarceramento e destacou que só nos primeiros seis meses deste ano foram apreendidas 4.400 armas de fogo, sendo que 300 são fuzis. “Ano passado inteiro apreendemos 371 fuzis, isto é a polícia apreende um fuzil por dia no Rio de a Janeiro”, revelou.

Na ocasião, ele fez uma explanação de sua gestão e não deu detalhes dos 550 policiais que sairam da área administrativa do estado e que vão trabalhar nas cidades de Niteroi, São Gonçalo e Itaboraí. “Esse contigente já se encontra à disposição de cada comandante de área, em breve teremos essas informações”, disse.

Antônio Roberto Cesário de Sá é delegado da Polícia Federal e assumiu a Secretaria de Segurança em outubro de 2016. Sua atuação na área, porém, começou na Polícia Militar do Rio, onde ingressou como cadete em 1983 e chegou a tenente-coronel, até deixar a corporação e ingressar na PF. Na PM, Roberto Sá foi instrutor do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de 1989 a 1992.

Ele é formado em Direito e pós-graduado em Administração Pública. Foi ainda subsecretário, quando atuou coordenando todo o planejamento do programa das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), implantado a partir de 2008, sendo o braço direito do ex-secretário Beltrame. Marcaram presença no evento: o presidente da Comissão de Segurança da Alerj, deputado estadual Paulo Ramos (Psol), Felipe Almeida presidente da Ong Viver Bem, o coronel Paulo Henrique de Moraes, secretário executivo do GGIM e o vereador Sandro Araújo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + quinze =