Secretaria nega descumprimento do isolamento em abrigos

Augusto Aguiar

De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) de Niterói, desde abril do ano passado, por conta da pandemia, a cidade passou a contar com três unidades de acolhimento e um hotel arrendado voltados para população em situação de rua. Uma das unidades é o Centro de Acolhimento Lélia Gonzales, que funciona na Rua General Andrade Neves, no bairro São Domingos. Atualmente são 181 pessoas atendidas pelo chamado acolhimento institucional. Os dados foram fornecidos após informações dando conta que nessas unidades estariam sendo registrados casos de aglomerações.

Há cerca de dois meses, um outro hotel, situado na Rua Doutor Paulo Alves, fechou e os moradores em situação de rua foram realocados para outras unidades. Segundo a SASDH, a hospedagem em hotel prevê o acolhimento provisório para adultos do sexo masculino e feminino em situação de rua, e nesses casos não há crianças acolhidas. Além do espaço provisório, o serviço garante condições de repouso, banho, higiene pessoal e alimentação, além de acompanhamento por equipes de assistentes sociais e psicólogos.
“As unidades seguem todas as orientações de prevenção à Covid-19, disponibilizando máscaras, álcool em gel e informativos, seguindo ainda as medidas de distanciamento social”, informou a Secretaria em nota

Em junho do ano passado a Prefeitura havia anunciado que um segundo hotel seria inaugurado para acolher moradores de rua, e não forneceu maiores informações sobre onde seria e qual a capacidade do local. Na ocasião, um hotel já havia sido arrendado, no Centro, com capacidade para 70 pessoas. Caso algum morador observe uma situação degradante envolvendo pessoas em situação de rua, deve entrar em contato com as equipes de assistência social ou acionar o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), através do número 153. As equipes irão até o local convencer o morador de rua a aceitar o acolhimento.

Em junho do ano passado o serviço especializado realizou 232 atendimentos nas ruas de Niterói. Cerca de dois meses antes, em abril, a cidade já havia disponibilizado o arrendamento de um hotel, que começou a receber os moradores de rua para a quarentena. Nesse primeiro momento, 15 moradores haviam sido atendidos. O serviço de abordagem social especializada é responsável por encaminhamentos à rede de acolhimento institucional, de forma consensual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.