Secretaria de Vitimados do Rio completa um ano de sua criação

A Secretaria de Estado de Vitimados (SEVIT) completa um ano nesta quarta-feira (05). Idealizada para oferecer atendimento social e psicológico para a população vítima da violência e também a agentes de segurança pública, a pasta acompanhou 620 pessoas desde agosto do ano passado até o momento.

Os municípios de São Gonçalo, na Região Metropolitana, Duque de Caxias e Belford Roxo, na Baixada Fluminense, são os que concentram o maior número de atendimentos para parentes de vítimas, incluindo casos ocorridos antes da criação da SEVIT. “Hoje nós auxiliamos algumas vítimas e famílias de pessoas que morreram em decorrência de crimes cometidos antes da existência da secretaria. Às vezes, a pessoa na época precisou de atendimento psicossocial, mas não conseguiu acompanhamento ou não podia pagar um psicólogo”, explica a secretária Pricilla Azevedo Barletta (foto).

Outro marco deste período foi o acompanhamento em tempo de real das ocorrências com vítima diretamente do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). A integração com órgãos de emergência que ficam no CICC e agentes da SEVIT deu mais celeridade ao atendimento inicial para essas pessoas e suas famílias.

Entre abril e julho deste ano, a Secretaria de Vitimados, com o apoio de 134 psicólogos, atingiu a marca de 10 mil atendimentos e sessões de terapia para 870 pessoas de todo o estado, além de outras cidades do país. A pasta acompanhou, durante três meses, famílias de mortos pelo vírus, idosos, pacientes infectados e pessoas que integram o grupo de risco. Casos considerados mais graves ainda estão sendo assistidos pelos profissionais.
Com previsão de inauguração para o fim de setembro, o Centro de Atendimento aos Vitimados é um dos principais projetos da SEVIT e vai beneficiar a população fluminense vítima da violência que necessita de reabilitação física e mental, oferecendo serviço fisioterapêutico e psicológico gratuitos.

O espaço vai funcionar dentro do Parque Aquático Júlio De Lamare, que integra o Complexo Esportivo do Maracanã, e terá atividades de hidroterapia, natação, fisioterapia e educação física, todos voltados para o tratamento de lesões causadas por ferimentos, com foco na recuperação clínica do paciente. “Sabemos que esses tratamentos de fisioterapia podem custar caro, e nosso foco é a reabilitação da vítima. No Centro de Atendimento aos Vitimados, todos serviços serão gratuitos, e teremos acompanhamento adequado para a melhora e até mesmo a cura do trauma físico e emocional do paciente”,  afirmou Pricilla.

O local, que pertence à Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj), já possui a estrutura necessária e equipamentos de ginástica adaptados, além de elevador para a inclusão de pessoas com deficiência em atividades aquáticas. O tratamento será realizado mediante recomendação médica e após triagem da equipe de assistência social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =