Secretaria de Meio Ambiente e Inea fiscalizam clubes de canoagem nas praias de Niterói

Alan Bittencourt

Após reportagem de A TRIBUNA, publicada na sexta-feira (8), denunciando que os clubes de canoagem fincaram os suportes onde guardam as canoas sobre áreas de restinga em praias de Niterói, autoridades municipais e estaduais enviaram equipes de fiscalização para averiguar a denúncia de frequentadores das praias.

Os fiscais foram às praias de Charitas e São Francisco (na Zona Sul) e Camboinhas (Região Oceânica) para verificar se as denúncias procediam. E constataram que realmente havia irregularidades.

“Os fiscais da Secretaria de Meio Ambiente verificaram em Camboinhas que um clube de windsurfe. Os responsáveis foram notificados para retirar a estrutura em 24 horas. Se não cumprirem estarão passíveis de multa. Vai surtir efeito a notificação”, disse o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Leandro Portugal

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) também enviou fiscais para avaliar se havia crime ambiental sendo cometido. Em nota, o órgão, que pertence ao Governo do Estado do Rio de Janeiro reiterou que as praias de Camboinhas, São Francisco e Charitas estão localizadas na zona de amortecimento do Parque Estadual da Serra da Tiririca, cuja fiscalização compete à Prefeitura.

“Ainda assim, uma equipe do órgão ambiental estadual, em conjunto com a administração municipal de Niterói, realizou nesta sexta-feira (8/1), uma fiscalização no referido local para checar a denúncia. No local, os técnicos constataram tratar de uma intervenção na zona de amortecimento do parque, em área de acesso de máquinas para desassoreamento do Canal de Itaipu. O suporte para a canoa foi removido do local e a área será recuperada”.

Entenda a denúncia – Nas redes sociais, frequentadores das praias de Niterói denunciaram que as áreas de restinga estão sendo destruídas pelos clubes de canoagem. Com vários comentários de indignação nas postagens, os moradores pediam uma intervenção da Prefeitura de Niterói.

A reportagem de A TRIBUNA foi às praias e constatou que suportes para canoas foram instalados sobre restingas em vários pontos das praias.

Na Praia de Camboinhas, uma parte da vegetação foi desmatada. No local, foi colocado um suporte, que estava vazio na ocasião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 2 =