Sapucaí é azul e branca

Anderson Carvalho

Após uma espera de 33 anos a Portela conquistou ontem o 22º título de sua história, após uma disputada apuração do Grupo Especial das escolas de samba do Rio de Janeiro, na Praça da Apoteose, Centro do Rio. A Águia de Madureira, como a azul e branco é conhecida, disputou ponto a ponto com a Mocidade Independente de Padre Miguel, que não vence desde 1996 e ficou em segundo lugar. Outra favorita, a Estação Primeira de Mangueira, ficou apenas em quarto. A Acadêmicos do Salgueiro foi a terceira colocada. Com o título, a Portela se mantém como a maior ganhadora de campeonatos no Carnaval carioca. Foi a primeira conquista no Sambódromo. O enredo foi “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”, de Paulo Barros.

Antes de começar a leitura das notas, a Unidos da Tijuca foi penalizada em um décimo em dispersão, devido ao atraso na saída dos carros da Apoteose, que fez com que a agremiação terminasse o desfile estourando o tempo em um minuto. Cada escola tinha 75 minutos para desfilar. Em uma decisão polêmica, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio (Liesa), determinou, em uma reunião de emergência momentos antes da apuração com os presidentes de todas as agremiações, que nenhuma escola seria rebaixada para o Grupo de Acesso A. A medida foi tomada em função dos acidentes envolvendo os carros da Paraíso do Tuiuti e da Unidos da Tijuca, que deixaram 35 pessoas feridas. Foi mantida a subida de uma escola para o Grupo Especial. Decisão semelhante já foi tomada pela Liesa em 2011, quando um incêndio na Cidade do Samba destruiu os barracões da Grande Rio, União da Ilha e Portela.

O primeiro quesito que teve as notas lidas foi Alegorias e Adereços, onde Portela, Mangueira, Beija-Flor, Mocidade, Salgueiro e Grande Rio tiraram as notas máximas e começaram a apuração na frente. No quesito Bateria a Grande Rio perdeu um décimo e ficou para trás. Já depois do quesito Fantasia, Portela, Mangueira e Salgueiro se mantinham na frente, seguidos de Mocidade. Após as notas de Samba Enredo, a disputa ficou entre Mangueira e Portela. No quesito Comissão de Frente, a azul e branco perdeu um décimo, deixando Mocidade sozinha na liderança.
Após as leituras de Enredo, a verde e branco perde um décimo e o título. Como o quesito era de desempate, a Portela é considerada a campeã.

O último título fora em 1984, empatada com a Mangueira. Já sozinha, ganhou pela última vez em 1970, com Lendas e Mistérios da Amazônia.

O presidente da Portela, Luiz Carlos Magalhães, que assumiu o cargo após o assassinato de Marcos Falcon em setembro do ano passado, de quem era vice, dedicou o título ao antigo dirigente e disse que foi uma vitória do samba. “Ele deixou toda a escola estruturada. Chamou gente para somar. Fez uma administração descentralizada. O resultado está aí. Acabou essa história de jejum. Nós merecemos muito, nós trabalhamos muito, nós somos a que merece mais. O carnaval precisa da Portela, a cultura brasileira precisa da Portela.A vítória não é só da Portela, é de todas as escolas que precisam defender a bandeira do samba”, declarou.

As seis primeiras colocadas – Portela, Mocidade, Salgueiro, Mangueira, Grande Rio e Beija-Flor – participam do Desfile das Campeãs, no próximo sábado.

Resultado final
1- Portela – 269.9
2- Mocidade – 269.8
3- Salgueiro 269.7
4- Mangueira – 269.6
5- Grande Rio – 269.4
6- Beija-Flor – 269.2
7- Imperatriz – 268.5
8- União da Ilha – 267.8
9- Vila Isabel – 267.4
10- São Clemente – 267.4
11- Unidos da Tijuca – 266.8
12 – Paraíso do Tuiuti – 264.6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 1 =