São Gonçalo terá representante no Concurso Mundial de Cabeleireiros

Raquel Morais

A cidade de São Gonçalo será representada no exterior através de uma mulher considerada Valente. E não é só no sobrenome que a moradora do Colubandê carrega a qualidade. Luciana Valente tem 43 anos e depois de muita luta, com a perda de dois filhos, conseguiu sair da depressão através da trabalho. A cabeleireira está concorrendo ao 70º prêmio, o concurso mundial de 2021 da Tesoura de Ouro, referência no segmento de quem trabalha entre tesouras, pincéis e tintas.

Sim, a gonçalense é uma referência na profissão e coleciona 69 prêmios entre cortes, pintura e reconstrução capilar. Os últimos: Tesoura de Prata com Rubi como as 10 melhores profissionais do Brasil e uma Tesoura de Diamante como melhor cabeleireira do Estado do Rio de Janeiro, ambos em 2019.

A competição é considerada um ‘Oscar’ dos salões de beleza e no próximo dia 26 ela está com viagem marcada para Campinas, em São Paulo, para receber a placa das dez melhores profissionais do Brasil. Em 1 de dezembro o destino é Florianópolis para receber o prêmio Mão de Diamante como referência ao trabalho de mechas. “Sou a única de São Gonçalo que tem esse título. Também vou receber a Tesoura de Ouro que é o passaporte para o concurso mundial. Estava marcado para novembro de 2021 mas por causa da pandemia estamos esperando as novas orientações”, contou Luciana.

Filha de uma cabeleireira a profissional trabalha há 26 como cabeleireira e garante que foi a profissão que a ajudou a superar a morte de dois filhos, uma em 2005 e um em 2017. “Entrei em depressão e foi o trabalho que me ajudou a tirar o foco da minha tristeza. Eu estudei, me aperfeiçoei e consegui passar por esse período tão difícil. Agora quero defender o meu município que eu tanto amo e estou na torcida”, comentou Luciana Valente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dois =