São Gonçalo: reconhecida como cidade que não recicla lixo

Raquel Morais –

De acordo com um levantamento realizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb), em parceria com a consultoria PwC (PricewaterhouseCoopers), o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU) na Região Sudeste é o melhor de todo o país. Já o índice de reciclagem está em 3,9%, um pouco acima da média nacional, que é de 3,7%. Apesar do positivismo, os gonçalenses não têm motivos para comemorar, já que São Gonçalo apresentou 0% de taxa de reciclagem.

De acordo com a pesquisa, 59,7% dos municípios analisados na pesquisa ainda não estabeleceram uma fonte de arrecadação própria para custear os serviços de reciclagem, como rege a legislação. Apesar de apresentar dados mais positivos que grande parte do Brasil, o Sudeste ainda está longe de tratar a questão do lixo como determina a lei. A região tem 84% do território coberto pela coleta domiciliar (melhor índice do país), mas só 51,1% dos resíduos é destinado de forma adequada, em aterros sanitários.

Apesar da ausência no tratamento do lixo, levantamento apontou que o município tem 94% de cobertura quando o assunto é limpeza, além de ter o destino correto para o lixo coletado. “Eu não concordo com isso e a cidade está um lixo ambulante. Em todos os bairros é fácil encontrar sujeira, o lixo não é recolhido com regularidade e não é surpresa saber que não tem reciclagem”, comentou uma moradora do bairro Porto Novo que não quis se identificar.

O artesão Cidel Trindade, de 43 anos, trabalha com reciclagem há anos e está com viagem marcada para Noruega para mostrar seu trabalho em um congresso. “São Gonçalo não tem essa preocupação com o destino do lixo e esse é praticamente o meu lema de vida. Eu transformo o lixo em alguma coisa e acho serventia para praticamente tudo. Garrafa, pneu, tampa de plástico e madeiras são materiais e objetos que podem ser reaproveitados. Isso ajuda o meio ambiente, evita que esses materiais sejam levados para os aterros sanitários e para o oceano. Eu não consigo reconhecimento no meu município e tenho no exterior, isso realmente é algo que tem que ser repensado”, finalizou o morador de Neves.

Em nota, a Prefeitura de São Gonçalo explicou que a Secretaria de Meio Ambiente realiza, bimestralmente, o recolhimento de lixo eletrônico no município. No dia 10 de setembro acontecerá ação na Praça Doutor Luiz Palmier, no Rodo, que será o ponto de coleta desta vez. A cidade possui, ainda, pontos de entrega voluntária (PEVs) em diversas escolas municipais, as quais recebem o material e encaminham para reciclagem. Além disso, a Prefeitura mantém projetos de troca de óleo e recolhimento de pneus. O projeto de troca de óleo consiste em pegar este material e transformá-lo em sabão. Com isso, cerca de 1.900 litros do produto já foram direcionados ao destino devido. Já a iniciativa que visa recolher pneus usados já conseguiu retirar mais de 11 mil unidades das ruas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *