São Gonçalo pode ganhar escola cívico-militar do governo federal este ano

A cidade de São Gonçalo foi pré-selecionada pelo Ministério da Educação para implementar o programa de escola cívico-militar. O município está entre as 74 cidades do País que deverão ser escolhidas pelo governo federal. Apenas seis municípios do Estado do Rio de Janeiro estão na relação divulgada esta semana pelo governo federal. A inclusão de São Gonçalo foi um pedido feito pessoalmente pelo secretário municipal de Gestão Integrada e Projetos Especiais, Douglas Ruas, durante audiência com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, e o deputado federal Carlos Jordy.


Segundo o secretário Douglas Ruas, uma unidade da rede municipal de Educação que já está em funcionamento irá adotar a nova metodologia de ensino. Ele explicou que os militares realizarão atividades de apoio, ao lado dos professores e profissionais da Educação, que continuarão responsáveis pelo trabalho didático-pedagógico. A escola a ser escolhida passará por adequações que forem necessárias para a implementação do sistema cívico-militar.

“O governo do Capitão Nelson espera com alegria por essa conquista. A adoção da escola cívico-militar é um desejo do prefeito, que me pediu especificamente para buscar a parceria com o governo federal e garantir a implantação do programa em São Gonçalo. O município precisa desenvolver projetos educacionais e a ajuda do governo federal é fundamental para os aportes de recursos necessários”, explicou.


A expectativa é de que, nos próximos dias, o município já inicie as tratativas com o governo federal para procedimentos iniciais a serem adotados para viabilizar a implantação da escola cívico-militar no prazo mais curto possível.

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) oferece um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa, envolvendo o corpo docente da escola e apoio de militares federais e estaduais. O objetivo é garantir um ensino de qualidade, nos moldes dos colégios militares do Exército, das Polícias e dos Corpos de Bombeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − quatro =