São Gonçalo orienta sobre vacinação antirrábica humana

Mordeduras e arranhões de animais domésticos ou silvestres infectados com a raiva animal podem levar os humanos à morte. Por isso, o mais prudente após o incidente é procurar as unidades de saúde para tomar a vacina ou o soro antirrábico humano. Em São Gonçalo, os atendimentos acontecem em todos os polos sanitários, distribuídos por cinco bairros, para a avaliação da lesão. A aplicação da vacina, no entanto, é realizada em dois deles: Washington Luiz Lopes, no Zé Garoto, e Hélio Cruz, em Alcântara, em dias específicos. O soro só é aplicado no Pronto Socorro Central, no Zé Garoto, para os casos mais graves.  

“No atendimento antirrábico, o profissional de saúde vai orientar o paciente após avaliar o acidente e a lesão. Com a avaliação, ele vai estabelecer a conduta a ser realizada, como se há necessidade ou não da vacina e/ou soro antirrábico, assim como a quantidade de doses da vacina”, disse a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil, Melissa de Mello.

Normalmente, a vacina é indicada para os acidentes com animais potencialmente transmissores da raiva e o soro será utilizado com a vacina quando o acidente for com animal morto/desaparecido e animal silvestre.

“São imunobiológicos diferentes. A vacina estimula o organismo a produzir anticorpos e o soro já possui anticorpos prontos. A avaliação do profissional responsável vai dizer o que será necessário. Em animais observáveis, por exemplo, são duas doses da vacina. Mas mordeduras de animais silvestres são quatro doses e a dose única do soro”, explicou a enfermeira da equipe técnica da Vigilância Epidemiológica, Laís Refina Franco Coutinho.

A aplicação da vacina antirrábica acontece no Polo Sanitário Washington Luiz Lopes às segundas e quintas, e no Polo Sanitário Hélio Cruz às terças e sextas, sempre das 8h às 17h. Nos feriados, os polos abrem, exclusivamente, para vacinação antirrábica, das 8h às 12h. Quando necessária a aplicação do soro antirrábico, o paciente é encaminhado ao Pronto Socorro Central (PSC), no Zé Garoto, que funciona 24h todos os dias. 

O atendimento para avaliação da lesão ocorre nos polos de segunda a sexta, das 8h às 17h. Em casos de acidentes graves que necessitam de atendimento de urgência ou emergência, fora do horário de atendimento nos polos sanitários, o paciente é encaminhado ao PSC para avaliação.

“A raiva humana é uma doença grave que atinge 100% de letalidade. Dessa forma, a vacinação é imprescindível para a prevenção deste agravo”, finalizou Melissa.

Locais de atendimento

Polo Sanitário Washington Luiz Lopes, Zé Garoto

Polo Sanitário Hélio Cruz, Alcântara

Polo Sanitário Augusto Senna, Rio do Ouro

Polo Sanitário Paulo Marques Rangel, Porto do Rosa

Polo Sanitário Jorge Teixeira de Lima, Jardim Catarina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 17 =