São Gonçalo inicia projeto de alimentação saudável nas escolas

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade entre crianças e adolescentes aumentou em 10 vezes nos últimos 40 anos, por isso, a OMS já considera o fator uma epidemia global. Paradoxalmente, a desnutrição alcançou mais de 5 milhões de brasileiros, segundo o Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe 2018. Ambas as afirmações tem um ponto em comum: a má alimentação. Com objetivo de realizar uma avaliação nutricional e melhorar a qualidade de vida das crianças e adolescentes da rede municipal, a Secretaria de Educação, junto à Secretaria de Saúde de São Gonçalo, deu início nesta terça-feira (27) à “Avaliação Nutricional dos escolares sob o olhar da Nutrição em Educação e Saúde”, assistindo mais de 1.300 crianças da rede educacional.

Fruto de uma parceria entre o Núcleo de Saúde da Família (NASF), Área Técnica de Alimentação e Nutrição (ATAN) e a Secretaria de Educação, o projeto possui três etapas de ação: coleta de dados, onde serão mapeadas informações de peso, altura e idade dos alunos; diagnóstico e análise dos dados; e intervenção com palestras sobre alimentação saudável. O resultado do projeto, além da educação para uma vida saudável, é também incidir diretamente na rotina alimentar das escolas, adequando para a realidade de cada unidade.

“Essa parceria da rede é fundamental porque pensa a saúde de forma integral, compreendendo a importância da articulação das secretarias para o bem-estar e a manutenção da qualidade de vida das nossas crianças e adolescentes!”, afirmou a subsecretária de Atenção Básica da Secretaria de Saúde, Maria Auxiliadora.

A primeira etapa começou no Colégio Municipal Ernani Faria, no bairro Neves, e na Escola Municipal Professor Evadyr Molina, em Venda da Cruz. Para Danielli Sueth, coordenadora do núcleo acadêmico da Secretaria de Educação, a iniciativa é fundamental pensando a qualidade de vida dos alunos, bem como o reflexo da boa alimentação no desempenho escolar de cada um, em uma realidade onde em muitos casos a alimentação na escola é a sua principal refeição do dia.

“Essa é uma proposta de melhoria na qualidade de vida de forma completa. Pensando o rendimento escolar, a disposição e a saúde dessa criança. Nas reuniões de planejamento decidimos que cada escola terá um cronograma diferenciado, baseado na realidade dos alunos. Quando completarmos as três etapas nessas duas primeiras escolas, vamos seguir para outras. O objetivo é fazer gradativamente e assim atender toda a rede com excelência!”, afirmou.

Para Maria Cristina dos Santos, diretora geral do Evadyr Molina, a proposta ultrapassa os muros da escola.

“Esse projeto terá um alcance além daquilo que imaginamos, e por isso ele é muito importante. Cada criança será uma multiplicadora de tudo o que aprender na escola sobre alimentação saudável e isso muda a rotina de toda a família”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 12 =