São Gonçalo decreta medidas mais rígidas de isolamento social

Camilla Galeano

A Prefeitura de São Gonçalo publicou na quinta-feira (19) um decreto no Diário Oficial, estabelecendo um novo isolamento social. A assessoria do município descartou a versão de lockdown, divulgada inicialmente por vários veículos de comunicação. Serão adotadas medidas restritivas mais rígidas até, pelo menos, o dia 27, devido ao aumento no número de pessoas contaminadas com a Covid-19 no município.

“Ao contrário do que foi divulgado por alguns componentes da mídia, o Município de São Gonçalo não determinou lockdown, o que se tem são medidas restritivas mais rígidas no combate ao coronavírus”, informou a Prefeitura.

O decreto determina que fica proibida a realização de eventos e de qualquer tipo de atividade com presença de público que envolva aglomeração de pessoas, tais como eventos desportivos com público, show, comício e passeata. Desta forma, devem permanecer fechados os setores de turismo, cultura, lazer, educação, igrejas e centros religiosos, academias e congêneres.

A medida não se aplica aos serviços de saúde, como clínicas médicas, odontológicas, oftalmológicas, de vacinação e de fisioterapia, laboratórios de exames clínicos e de imagem, além de farmácias, drogarias, hipermercados, supermercados, mercados e centros de abastecimento de alimentos, padarias, pet shops, óticas, postos de combustível e chaveiros, também classificados como essenciais. Estes devem funcionar com dois terços da capacidade.

A mesma limitação de público se aplica a barbearias e salões de beleza, que poderiam funcionar apenas com hora marcada e respeitando as orientações do distanciamento. Aos estabelecimentos autorizados a funcionar, fica vedada permanência continuada após o check-out e aglomeração de pessoas nestes locais. Continua obrigatório o uso de máscaras faciais para todos os trabalhadores vinculados aos estabelecimentos comerciais e industriais, e seus respectivos clientes, devendo o estabelecimento, obrigatoriamente, oferecer álcool em gel 70%.

Os shopping centers, centros comerciais e galerias poderão funcionar no horário de 10h às 22h, desde que garantam o fornecimento de equipamentos de proteção individual e álcool em gel 70% a todos os funcionários. O shopping também precisa disponibilizar, logo na entrada, álcool em gel 70% (ou similares) a todos os clientes. Áreas de recreação e lojas com brinquedoteca, jogos eletrônicos, cinema e teatro, devem ficar fechados.

Quanto aos funcionários das repartições públicas, podem ser dispensados do serviço presencial, realizando a função de forma remota, caso necessário. A hipótese não se aplica aos servidores dos seguintes órgãos, por serem consideradas atividades essenciais e indispensáveis: Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil, Secretaria Municipal de Segurança Pública, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Fundação Municipal de Saúde, Procuradoria Geral, Departamento de Saúde Ocupacional, e Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Em relação aos profissionais de saúde com mais de 60 anos ou doenças crônicas, e que atuem na linha de frente do combate ao Coronavírus, poderão ser alocados em outras unidades. Os profissionais que não se encontrem em grupo de risco poderão ser remanejados para a linha de frente, se assim demandar a situação.

Ampliação do número de leitos

A Secretaria Municipal de Saúde anunciou que está ampliando o número de leitos de enfermaria e de Centros de Terapia Intensiva (CTI) nos hospitais que atendem pacientes com Coronavírus.

“As determinações publicadas têm como objetivo resguardar a vida dos gonçalenses e conter a propagação do Coronavírus na cidade. Ontem realizamos reunião na Secretaria de Saúde, com a presença de técnicos da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Procuradoria e Gabinete, e decidimos que a melhor alternativa neste momento é recuar um pouco. O decreto pode ser prorrogado caso não ocorra a diminuição do número de casos confirmados”, explica o prefeito José Luiz Nanci.

A Secretaria de Saúde abriu mais seis leitos de CTI no Hospital Franciscano Nossa Senhora das Graças, em Lagoinha, e outros quatro no Retaguarda Gonçalense, no Centro. O Hospital Retaguarda tem 32 leitos de enfermaria e 17 de CTI. Na próxima semana a secretaria de Saúde irá abrir o segundo andar da unidade criando mais 40 leitos de enfermaria e 30 de atendimento intensivo.

O Hospital Franciscano possui 35 leitos de enfermaria e 20 de CTI. Já o Pronto Socorro Central, no Zé Garoto, está com 12 leitos de enfermarias e outros sete de CTI. Todos ocupados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − onze =