Sanitização em Niterói entra na segunda fase

No Dia Nacional do Líder Comunitário, celebrado na terça-feira (05) em todo o país, os representantes de comunidade de Niterói chama a atenção para os cuidados que os moradores devem ter para evitar a disseminação do coronavírus. Dados da Federação das Associações de Moradores de Niterói (Famnit) apontam que a contaminação nas favelas da cidade está aumentando gradativamente. A Prefeitura de Niterói divulgou que o processo de sanitização das comunidades, que tem sido feito desde o dia 23 de março, já higienizou mais de 28.009,67 km². A ação foi feita pelos agentes da Companhia de Limpeza Urbana (Clin) e também pela equipe de sanitização que aplicou a solução de quaternário de amônia de quinta geração, igual aconteceu na China.

O diretor da Famnit, Adriano Felício, reforçou que o morador de comunidade tem que fazer a sua parte.

“Não pode fazer confraternizações e tem que ter medo da contaminação. A ação de sanitização realizada em todas as comunidades de Niterói mostra que as comunidades estão sendo vistas pelos governos. Em algumas comunidades, como Palácio, Estado e Morro da Penha foram feitas duas vezes”, frisou.

Segundo levantamento no Morro da Penha, por exemplo, existem 14 casos do coronavírus, sendo 4 confirmados e 10 suspeitos. No Morro do Estado são 11 casos, sendo 3 confirmados e oito suspeitos. No Complexo do Caramujo, na Zona Norte,são 12 casos sendo 4 confirmados e oito suspeitos.

De acordo com a Prefeitura de Niterói o processo de sanitização entra agora em sua segunda etapa e vai seguir por vias secundárias e vielas da cidade. A secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, reforça a necessidade da continuação do trabalho, por causa da grande circulação de pessoas nesses locais.

“Já concluímos a sanitização das principais comunidades e todos os bairros de Niterói e agora estamos reforçando a sanitização nas 20 maiores aglomerações comunitárias da cidade. O reforço acontece por conta do grande fluxo de pessoas nestes locais. A sanitização é uma medida importante na prevenção da transmissão do novo coronavírus”, contou.

De acordo coma Prefeitura o produto age como uma película que mata os micro-organismos que estão no local (vírus, bactérias, fungos e ácaros) e forma uma camada protetora que mantém a superfície desinfetada por até seis meses, dependendo da circulação de pessoas.

“É importante ressaltar que essa ação já foi desenvolvida em países e cidades que enfrentaram, com sucesso, a epidemia do coronavírus. Com esta técnica, a um custo muito pequeno, realizados a desinfecção em ambientes externos, com durabilidade de três meses e, em ambientes internos, que ficam protegidos seis meses. Essa medida vai auxiliar para impedir a propagação rápida do vírus em Niterói”, finalizou o prefeito Rodrigo Neves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =