Sadinoel quer auditar as contas da Prefeitura de Itaboraí

Anderson Carvalho

O prefeito eleito de Itaboraí, Sadinoel Souza (PMB), vai abrir a caixa preta da prefeitura para saber o tamanho da crise no município. Vai fazer um “pente fino” nas contas públicas e nos contratos com prestadores de serviço e Organizações Sociais (OS). Vai promover incentivos fiscais para atrair empresas visando a geração de empregos. Outra medida é cobrar da Petrobras que assuma a responsabilidade pelo passivo que deixou a cidade.

“A primeira medida é ver como estão as finanças do município, junto com a Câmara Municipal para pegar esse suporte e trabalhar pelo povo de Itaboraí. Vou verificar todos os contratos com o auxílio do Tribunal de Contas do Estado e o da União. Sobre os terceirizados, tem alguns que estão de férias. Sei que há os sérios. Quem vai ser valorizado é o servidor público de carreira. Tenho que tomar pé do que ocorre na prefeitura, que é uma caixa preta”, contou Sadinoel.

O prefeito eleito, que até dezembro dará expediente como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), prometeu fazer concursos públicos. “Desde que consiga antes qualificar a população, para que as pessoas concorram às vagas. Abrir as escolas públicas para promover cursos gratuitos. Ainda vou verificar o quadro funcional para saber onde promoverei concurso”, adiantou.

O futuro chefe do Poder Executivo disse ainda que fará da Cedae a parceira da prefeitura para resolver a questão do saneamento básico. “Conversei com o presidente da Cedae. Vou buscar recursos para que a empresa possa, em quatro anos, colocar pelo menos 70% de água encanada e esgoto tratado na cidade.

Outra preocupação do parlamentar é com o alto desemprego na cidade, em virtude da crise econômica e a paralisação das obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio (Comperj). “Vou fomentar o microempreendedor individual, incentivar as empresas de fora que quiserem investir na cidade, com isenção de algum imposto municipal em troca de empregos. Vou ver isso com a Câmara. Vou ainda regularizar as moradias que estão irregulares. Chamarei o Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio (Iterj), o Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública”, explicou Sadinoel.

O prefeito eleito quer ainda que a Petrobras cumpra contrapartidas pela construção do Comperj. “Vou conversar com a estatal para que assuma o passivo que deixou na cidade. Exigir todas as contrapartidas possíveis. Se puder ajudar com saneamento básico e asfalto, melhor ainda. Também acompanharei a investigação, pelo MP, do sumiço de R$ 506 milhões que a empresa pagou à prefeitura nos últimos dois anos”, informou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *