Sábado de arte e cultura no bairro do Jacaré

Roda de conversa e oficina de grafite têm como objetivo aproximar os jovens da temática do meio ambiente

Arte e Cultura foram as companheiras dos jovens do bairro do Jacaré, na Região Oceânica, neste sábado (28). A equipe do Pró-Sustentável e outros voluntários promoveram atividades com o objetivo de difundir e fortalecer a arte e a cultura na localidade e aproximar os jovens da temática do meio ambiente na tentativa de engajá-los como agentes transformadores da comunidade local.

Segundo Catarina Magalhães, da equipe de Mobilização Social do Pró-Sustentável, “a arte e a cultura exercem um papel essencial de difusão, conscientização e promoção da transformação socioambiental. Assim como influenciam positivamente a qualidade de vida e a saúde mental e física e proporcionam reflexões acerca da vida cotidiana através de mensagens e imagens que recriam o espaço comunitário, dando cor, vida e esperança”.

A assistente social Daiane Pacheco trabalha na região há seis meses com a promoção dos direitos da população, junto com a equipe que acompanha as obras do local.

“Nosso trabalho aqui é orientar os moradores sobre direitos sociais, acesso ao sistema de saúde, benefícios assistenciais e também orientação para vaga escolar, além de atendimento às necessidades básicas dos moradores. Além disso, promovemos um trabalho de educação ambiental desenvolvendo atividades com os moradores voltados para resíduos sólidos, descarte correto dos resíduos e reciclagem com foco na melhoria da qualidade de vida, saúde e preservação do meio ambiente. Hoje, com a oficina, queremos estimular, através da arte e da cultura, os moradores e a juventude a se expressarem, seja com desenho ou frases, sobre a importância da relação com o meio ambiente”, explicou Daiane.

A primeira parte das atividades foi uma roda de conversa com os participantes sobre introdução aos conceitos básicos do grafite como poesia visual e transformação socioambiental dos espaços urbanos. Com o tema ‘Arte e Meio Ambiente através da Juventude do Jacaré’, também foi realizada uma batalha de rima com a temática do meio ambiente.

Morador da comunidade Saibreira, Higor de Almeida Paula, junto a outros voluntários, teve a oportunidade de levar os jovens para expressar suas ideias e criatividades na grafitagem com palavras e desenhos relacionados ao meio ambiente. Foram escolhidos a fachada da Associação de Moradores e Amigos do Jacaré (AMAJ) e o muro da escada que dá acesso à comunidade Boa Esperança – lugar de passagem e grande fluxo de moradores.

“Trazer essa oficina representa, primeiramente, trazer um pouco do hip-hop que foi um movimento que mudou minha vida. Ele trouxe a curiosidade, a dúvida e o conhecimento. Ele abriu minha mente para outros caminhos. Poder levar isso para os jovens é importante e meio que fura a ‘bolha da favela’, traz um conhecimento que as pessoas não estão acostumadas. O hip-hop tem muitas vertentes de artes diferentes, como a música e o desenho. O grande lance é a mensagem de esperança que, por mais que tudo esteja muito difícil, ainda tem gente que acredita e traz luz e é isso que eu quero poder trazer para eles”, disse Higor.

“Esse tipo de atividade não acontecia faz muito tempo aqui no Jacaré. Hoje rolou uma apresentação de free style, um bate papo sobre o movimento de hip-hop, uma roda de carimbó onde a criançada curtiu, dançou e aprendeu a tocar alguns instrumentos e um pouco mais dos ritmos afro-brasileiros. Encerramos as atividades com o grafite que é o legado que vamos deixar na comunidade”, concluiu Marciano, um dos voluntários do projeto de intervenção cultural.

Fotos: Divulgação Douglas Macedo/Prefeitura de Niterói

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.