Roubos de residências viram tema de palestras no batalhão

“Para que ocorra um crime, basta a vontade e a oportunidade. Nós buscamos coibir a oportunidade”. O posicionamento é de um policial reformado a respeito de um dos crimes que vêm apresentando crescimento em todo o estado nos últimos anos, que é o roubo de residências, cada vez mais ousado e violento. Os últimos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), referentes ao mês de abril desse ano, apontaram que 124 registros do tipo foram formalizados em delegacias do Estado, o que traduz uma média de uma queixa por dia, ou 124 casos. No mesmo período do ano passado, os0 registros foram de 104, elevação de 19,2% na incidência. Na totalização de janeiro a abril, o número de casos foi de 451, e no primeiro quadrimestre de 2018, 440 registros, nova elevação, dessa vez de 2,5%.

A contenção dessa modalidade de crime passa pelo reforço no policiamento e iniciativas da área de segurança, mas também depende de ações preventivas. Em Niterói foram registrados 16 casos, 1 a cada dois dias no mês de abril. No mesmo mês de 2018 foram registrados 9 casos, portanto quase o dobro do número de registros. O mesmo se repetiu na totalização, de janeiro a abril desse ano, com 60 registros formalizados nas delegacias da cidade, contra 37 no mesmo período do ano passado, crescimento de 62,2%.

Em todo o Estado, os números vêm indicando aumento dessa modalidade de crime e, para tentar evitar ser mais uma vítima na estatística, muitos preferem investir em equipamentos de proteção patrimonial, enquanto outros procuram obter maiores informações a respeito de como agir para evitar uma desagradável surpresa. Em Niterói há vários casos em que moradores tiveram os imóveis invadidos por bandidos e foram mantidos como reféns, sob a mira de armas.

Há cerca de dez anos, o subtenente da reserva, Ricardo Garcia, ministra palestras, inteiramente gratuitas, voltadas para porteiros, síndicos e moradores de edifícios e condomínios da cidade.

As palestras, voltadas para uma melhor orientação da população, são ministradas nas dependências do 12º BPM (Nirterói), onde Garcia também já desempenhou as funções de relações públicas. Ao fim das palestras, os participantes recebem certificados de conclusão.

“A palestra não é só para o porteiro, mas também para o síndico e o morador. Se não houver a triangulação entre eles, de nada adianta. Eu vou explicar ao porteiro o que não pode fazer, aí o morador vai lá e faz e o síndico apoia. Isso coloca a vida de todos em risco. São duas horas de palestra, toda quarta-feira, totalmente grátis. Todos os participantes recebem um certificado, assinado por mim e pelo comandante do batalhão. Eu já ministro essas palestras há uma década. Talvez eu seja um ícone na parte de palestras de segurança em condomínios na cidade. É muito importante um policial dando essa palestra, porque temos essa vivência, para abrirmos os olhos da população, o que minimiza o trabalho das autoridades policiais”, explicou Ricardo Garcia.

Dicas de prevenção
1 – “Enquanto a pessoa está sendo identificada na porta, aí o porteiro abre para uma outra pessoa…e geralmente o local de identificação é ao lado da porta, em vez de ser um pouco mais para o lado. Aí a pessoa acaba liberando a entrada para um estranho, sem identificação”.

2 – “Para entrar no condomínio, todas as pessoas dentro de um veículo têm que ser identificadas. Sabe-se lá se o morador estaria supostamente sendo mantido como refém, após ser rendido lado de fora do condomínio?”

3 – “Todas as pessoas que entram no condomínio e não moram no local (que seja até parente de quem reside) têm que ser identificadas e monitoradas. Exemplo: eu gosto de meus filhos, mas tem gente que não gosta. Existem casos que a pessoa (visitante) não é bem-vinda”.

4 – “A abertura dos portões para as pessoas que você não conhece. Há casos em que porteiros perderam o emprego. Havia uma festa no condomínio e surgiram dois casais (bem trajados). O porteiro pensou que iriam para a confraternização. Não foram. Seguiram direto para um apartamento onde os proprietários estavam viajando e lá furtaram diversos pertences”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *