Roubo de coletivos dispara no Rio, mas despenca em Niterói

Nas primeiras horas da manhã de sexta-feira (02) um suposto passageiro de ônibus fez sinal para um coletivo da Viação ABC, linha 402M (São Lourenço-Niterói), e embarcou, no Barreto, Zona Norte de Niterói. Pouco depois, quando o coletivo passava pela Avenida do Contorno, altura do Largo do Barradas, ainda na Zona Norte, o tal passageiro, que na verdade era um bandido, sacou uma arma e anunciou o assalto, roubando o dinheiro que estava com o motorista. Os três passageiros que estavam no ônibus não foram roubados. O fato foi registrado na 76ª DP (Centro/Niterói). Dois dias antes uma mulher foi conduzida para a mesma delegacia e autuada após ser reconhecida por passageiros de um onibus da Viação Coesa que tiveram os pertences roubados num assalto, também no Barreto. A PM foi acionada, localizou e prendeu a infratora. Os pertences roubados foram recuperados.

No primeiro semestre desse ano, em todo Estado, foram feitos – segundo levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) – 8.761 registros de ocorrências de roubos em coletivos, uma alta de 14,3% em relação ao mesmo período do ano passado (7.665 casos). O mesmo estudo apontou, à exceção da totalização específica do mês de junho, que esse prática criminosa vinha numa crescente no Rio. Vale ressaltar que as cidades de Niterói e São Gonçalo, com maior ênfase na primeiro município, estão na contramão dessa preocupante estatística na área de segurança.

Na planilha de roubos em coletivos no Estado, janeiro apresentou 1.328 registros, fevereiro, 1.356, março, 1.532, abril, 1.598, maio, 1.652, e junho 1.295. Na comparação entre os meses de junho dos dois últimos anos houve uma retração de 3,8%. No ano passado foram registrados 1.346 casos.

No Rio, o total de ocorrências no semestre foi o maior no período desde o início da série histórica do ISP, em 2003.
Em Niterói a queda foi apontada como muito representativa para as polícias Civil e Militar. Na avaliação dos últimos dados, relativos ao mês de junho, por exemplo, esse ano foram registrados pelas DPs da cidade apenas 9 ocorrências, enquanto no mesmo período do ano passado, o número de roubos em coletivos atingiu 29 casos, uma redução de 68,9%. No primeiro semestre, a queda foi de 62,6%, ou de 198 registros, no ano passado, para 74 em 2019.

A luta para reduzir os índices na região
De acordo trabalho levantamento do ISP, desde 2003 a cidade de Niterói apresentou por quatro vezes índices de ocorrências acima de dois dígitos, sendo três vezes registrados há cerca de 12 anos (2007) – em fevereiro daquele ano (108), abril (102) e maio (132) – e 2008 (agosto/111 registros). Antes dos três dígitos, a maior alta de casos que a cidade atingiu havia sido em novembro de 2006, com 98 registros de ocorrências. Além de São Gonçalo, o Patrulhamento Transportado em Ônibus Urbano (PTOU) também passou a atuar na cidade de Niterói por determinação do 4º Comando de Policiamento de Área (CPA), no início do mês de julho. O objetivo é reduzir a incidência criminal de roubos de coletivo na região. Em Niterói o policiamento é realizado pela 1ª Cia. São realizadas abordagens de rotina, mantendo assim o contato direto com a população e proporcionando uma maior sensação de segurança daqueles que utilizam o transporte coletivo.

Em São Gonçalo, os números de ocorrências na casa dos três dígitos ainda persistem, mas com sinalização de queda. Em relação ao último mês avaliado pelo ISP (junho), foram 116 casos de roubos de coletivos, com queda de 17,1% em relação ao ano passado (140). Quando a comparação muda para os números de primeiro semestre, a situação se inverte, com elevação do número de casos, de 541 em 2018, para 647 em 2019, aumento de 19,6%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *