Rodrigo Neves: julgamento é adiado e ficará para março

O julgamento da denúncia contra o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que estava marcado para esta quarta-feira (20), no Terceiro Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça estadual (TJ-RJ), foi adiado para 20 março. O desembargador José Muiños Piñeiro Filho acolheu o pedido da defesa para que faça uma análise melhor do processo.

Procurado por A TRIBUNA, o advogado criminal do ex-secretário de Obras, Domício Mascarenhas, Paulo Ramalho, disse que, em comparação do jeito que estava o imbróglio do julgamento, o desembargador José Muiños foi correto na decisão.

“Se o advogado de Rodrigo, Dr. Técio, não conseguir o habeas corpos antes no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) vamos ter que esperar a boa vontade do próximo encontro do Grupo de Câmaras, que até o momento segue sem poder contar com a participação de duas desembargadoras que se disseram impedidas de participar desse julgamento. O Grupo de Câmaras tem que ter no dia do julgamento no mínimo sete desembargadores para a votação”, declarou.

Ao atuar junto com o advogado Técio Lins e Silva, que defende o prefeito preso, Ramalho confirmou que o pedido de transferência do julgamento sobre decisão do relator Luiz Noronha, que manteve Rodrigo Neves preso preventivamente, também foi feito por Técio, que alegou ter uma outra audiência na mesma data em Porto Alegre.

Segundo o advogado Luciano Alvarenga, o tempo a mais que o desembargador pede para apreciação do caso é um motivo relevante. “A cautela de um dos julgadores em conhecer melhor o processo é muito importante diante da possibilidade de ser julgado não apenas o Agravo, mas principalmente, a denúncia apresentada, que pode ser julgada recebida ou não, e neste caso, importaria no arquivamento do Procedimento Investigatório”, disse.

One thought on “Rodrigo Neves: julgamento é adiado e ficará para março

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + nove =