Rodoviários do Leste Fluminense reivindicam 10% de reajuste salarial

Rodoviários do Leste Fluminense aprovaram, em uma série de assembleias, iniciada na segunda-feira (02) e encerrada nesta quarta (04), a pauta de reivindicações da categoria para o biênio 2017-18, que inclui reajuste salarial de 10%. Os trabalhadores também querem 50% de aumento sobre o valor da cesta básica; o fim da cobrança, pelos motoristas, das passagens em dinheiro; e a inclusão no acordo coletivo da continuidade da contribuição sindical, realizada uma vez ao ano, e da contribuição assistencial, descontada sobre os salários dos não sindicalizados duas vezes ao ano.

As assembleias foram realizadas nas sedes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passageiros (Sintronac) de Itaboraí, São Gonçalo e Niterói, reunindo rodoviários destes municípios, além de Maricá e Tanguá. As reivindicações serão encaminhadas ao sindicato patronal hoje.

De acordo com o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira, as negociações salariais deste ano ocorrem em um período conturbado da vida nacional e, por isso, serão difíceis.

“Há uma crise econômica crescente, que atingiu em cheio o setor de transportes coletivos, além de uma instabilidade política, que inibe investimentos. Talvez esta seja a negociação mais difícil da história do Sintronac. Há um quadro de demissões preocupante no setor e empresas que mal estão aguentando a folha de pagamento. Mas lutaremos pela causa dos rodoviários até o fim”, afirmou Rubens.

A manutenção das contribuições sindical e assistencial foi estabelecida como cláusula do acordo coletivo em consequência da reforma trabalhista, que entrará em vigor em novembro deste ano. O projeto, proposto pelo governo federal e aprovado no Congresso Nacional, suspende essas contribuições. Pela nova Lei, a única forma de mantê-las é através do acordo coletivo.

“Sem essas contribuições, os sindicatos deixarão de existir e os trabalhadores ficarão à deriva nas negociações com os patrões”, analisou o presidente do Sintronac.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *