Robinho é condenado em última instância por estupro

O jogador de futebol Robinho, ex-Santos, foi condenado hoje em terceira e última instância, pela Justiça Italiana, por abusar sexualmente de uma mulher no ano de 2013, quando defendia o Milan. Um amigo do atleta, Ricardo Falco, também foi condenado. A pena é de nove anos de prisão pelo crime de violência sexual em grupo.

A sentença é definitiva e não cabe mais recurso. Dessa forma, a Justiça Italiana poderá pedir a extradição de Robinho e Falco. Contudo, como a Constituição Brasileira não permite a extradição de brasileiros natos, é possível que a Justiça Italiana solicite que os acusados cumpram a pena em solo brasileiro.

Até o momento, não houve uma definição de como as penas serão cumpridas ou quando o cumprimento será iniciado. É importante salientar que a sentença prevê cumprimento imediato da pena, em regime fechado. Como Robinho está no Brasil, até o momento ele continua em liberdade.

As defesas de Robinho e Falco contestam a acusação e afirmam que a relação foi consensual. De acordo com a denúncia, os abusos teriam acontecido em uma boate na cidade de Milão. A vítima é uma mulher albanesa que, à época, estava completando 23 anos de idade. O caso foi aberto em 2016. No ano seguinte, veio a condenação em primeira instância.

Em outubro de 2020, o Santos chegou a anunciar o retorno de Robinho ao clube que o revelou. No entanto, a repercussão negativa do caso entre a torcida fez com que a equipe paulista desistisse da contratação. À época, patrocinadores também ameaçaram deixar o clube caso fosse confirmada a chegada de Robinho.

Foto: Divulgação/Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.