Rio terá Secretaria de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, confirmou nesta segunda-feira (05) que fez o convite para que a deputada federal Major Fabiana (PSL-RJ) ocupe o cargo de secretária de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência. Segundo o chefe do executivo fluminense, a pasta está sendo criada para atender não só a vitimização dos policiais como também da mulher e da pessoa com deficiência.

“Tenho certeza que vossa excelência não recusará o pedido de assunção dessa secretaria. Seja bem-vinda ao governo do estado. Nós só vamos preparar os atos e a estruturação da secretaria. Fico feliz que vossa excelência tenha aceitado, até porque o PSL tem sido um parceiro do governo do estado e tem sido a base na Assembleia Legislativa e também a voz do Rio de Janeiro no Congresso Nacional”, disse hoje durante a cerimônia no quartel-general da Pollícia Militar, no centro do Rio, para o lançamento do Programa Patrulha Maria da Penha – Guardiões da Vida, que vai acompanhar o cumprimento de medidas protetivas nos casos de violência doméstica.

De acordo com Witzel, na reestruturação que vem fazendo a partir da avaliação dos 180 dias de governo foi identificada a necessidade de alguns ajustes, um deles levou à criação da secretaria dedicada à violência. O governador citou o caso das mortes do engenheiro João Feliz de Carvalho Napoli e do professor de educação física Marcelo Henrique Correa Cisneiros Reis, no domingo (28), que foram esfaqueados por Plácido Correa de Moura, que vivia em situação de rua na Lagoa, zona sul do Rio. Ele ainda feriu mais quatro pessoas, entre elas Caroline Moutinho, namorada de João, dois bombeiros e um policial militar.

“Já recolhemos centenas de instrumentos perfurocortantes das mãos de moradores de rua e vamos fazer um trabalho intenso com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos para o acolhimento em parceria com a prefeitura do Rio e de outros municípios do interior que padecem do mesmo mal”, disse.

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos
Depois da cerimônia no QG da PM, Witzel afirmou que a secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fabiana Bentes, depois de seis meses, pode deixar a administração estadual. Ele disse que Fabiana Bentes já tinha comunicado que pediria a exoneração, mas não sabia as razões. “Vou aguardar a carta de exoneração para verificar os motivos mais aprofundados e poder assim já incontinente hoje mesmo anunciar a substituta ou substituto”, disse.

Para Witzel, a secretaria tem um importante papel com várias minorias e precisa fazer o trabalho em parcerias com prefeituras. “Nós já perdemos muito tempo para que algumas práticas sejam colocadas em funcionamento. Realmente não sei as razões pelas quais ela entende que está triste, mas eu também não estou satisfeito, porque acredito que nós já podíamos ter avançado mais. Então, acho que é bom para os dois lados. Ela vai cuidar da vida dela da forma que acha melhor e eu vou cuidar do Rio de Janeiro para o qual fui eleito”, apontou.

O governador adiantou que já conversou com algumas pessoas para substituir Bentes na secretaria e deve fazer a nomeação em breve. O perfil para o cargo é de alguém que tem experiência com a área de assistência social. Witzel confirmou que Cristina Quaresma é uma das pessoas que podem assumir o cargo. “Ela tem muita experiência. Trabalhou na secretaria de Desenvolvimento Social de Nova Iguaçu, está em Mesquita agora. É servidora de carreira, professora, tem um profundo conhecimento sobre assistência social. Uma pessoa muito alinhada com o meu plano de governo”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *