Rio Poupa Tempo pode estar com os dias contatos

Aline Balbino

Em 2017, o Rio Poupa tempo de São Gonçalo, no bairro Boa Vista, funcionará em novo endereço, caso a unidade continue funcionando, já que muitos funcionários estão com pagamentos atrasados. O consórcio Rio Cidadão, atual gestor da unidade, terá o contrato finalizado em 7 de dezembro. Com a mudança, o Rio Poupa Tempo poderá ter seu endereço alterado para outro bairro de São Gonçalo. O Governo do Estado fará uma chamada pública para que empresas se candidatem, mas com a falta de verba do Estado, é possível que outras empresas não queiram assumir o compromisso. O que pode ocasionar em milhares de usuários dos serviços do Poupa Tempo tendo que procurar ajuda em outras unidades. A mais próxima fica localizada no Centro do Rio.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, o contrato com o Consórcio Rio Cidadão não poderá ser prorrogado e por isso, haverá um lançamento público para definir um novo local para a retomada das ações. A Secretaria ainda não tem endereços, mas garante que continuará sendo em São Gonçalo.

Além disso, o consórcio gestor tem atrasado os salários dos funcionários, pois o Estado não tem feito o repasse. Na sexta-feira, o Detran encerrou a emissão de identidade. Os usuários foram orientados a agendarem atendimento nos postos do Rocha, Neves ou em Niterói. A Secretaria de Desenvolvimento informou que como medida de contenção, o Detran está realocando os atendimentos para postos próprios, deixando assim de atender nas unidades do Rio Poupa Tempo em todo o Estado. Na unidade São Gonçalo, apenas a Diretoria de Habilitação permanece com a agenda aberta até o dia 21 de outubro, quando também será realocado para um posto do Detran.

“Se fecharem o Rio Poupa Tempo nós seremos muito prejudicados. Aqui a gente consegue resolver muita coisa e temos pessoas que sabem nos dar boas informações. A mudança de endereço também não é uma coisa legal porque aqui é perto do shopping, mas seria legal que colocassem no Alcântara”, disse o aposentado Osvaldo Rodrigues, de 68 anos.

A lista de reclamações dos funcionários é grande. Eles foram informados pelos gestores que haverá redução de 25% do salário além do corte de todos os benefícios (salvo o vale-transporte), acompanhado também da redução da carga horária (de 8 para 6 horas diárias). A Secretaria informou que estão sendo realizados estudos de viabilidade técnica pelo Consórcio para equacionar os custos de operação na unidade, porém, ainda nada definido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 6 =