Rio: Município vai suspender vacinação contra Covid-19

O município do Rio de Janeiro vai interromper a campanha de vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira (17). O motivo é a falta de doses para seguir o cronograma previsto. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, deu a informação em seu perfil no Twitter. Segundo Paes, há uma previsão de que apenas na próxima semana deverá chegar uma remessa da CoronaVac produzida no Instituto Butantan, em São Paulo.

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper amanhã nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852 pessoas. Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, disse o prefeito na rede social.

Conforme contou o prefeito, ontem foram vacinados os idosos de 84 anos e hoje serão os de 83 anos. Estas faixas de idade estavam previstas na antecipação do cronograma da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que tinha sido anunciada pela prefeitura. O cronograma definiu ainda que até o fim do mês estariam imunizados com a primeira dose das vacinas os idosos com idade acima de 80 anos. Isso, no entanto, pode sofrer atraso por causa da falta de doses. Após esta etapa a previsão é de que sejam vacinadas as pessoas com idades entre 79 e 60 anos.

A suspensão do cronograma não vai atingir a aplicação da segunda dose nas pessoas que já foram imunizadas com a primeira dose na primeira fase da campanha na capital. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), essa segunda dose começará a ser aplicada na terça-feira (16).

Entregas

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) completou na última quinta-feira (11), a entrega da última remessa da vacina CoronaVac contra a covid-19 que recebeu do Ministério da Saúde no fim de semana anterior, com 131.110 doses, para os 92 municípios do estado. Os lotes destinados aos municípios do Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo foram retirados da Coordenadoria Geral de Armazenamento (CGA), em Niterói na região metropolitana do Rio, na terça-feira (9). A cidade de Maricá fez a retirada na quarta-feira (10) e os outros 88 municípios receberam as doses do imunizante no dia seguinte.

Em Niterói, um idoso apesar de ter o braço espetado com a agulha da seringa ele não recebeu a imunização por uma agente de saúde. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Niterói informou que ao tomar conhecimento do fato identificou a técnica de enfermagem, que foi imediatamente afastada de suas funções. Segundo a prefeitura, o fato está sendo apurado e as medidas cabíveis serão tomadas.

“A família do idoso foi imediatamente contactada e acolhida. Uma visita foi agendada para o mesmo dia, no qual o médico e a enfermeira responsável realizaram a aplicação da vacina na casa do idoso”, afirmou em nota.

A prefeitura destacou que todos os profissionais que participam da ação de imunização no drive-thru na Universidade Federal Fluminense (UFF) “passam por um treinamento e supervisão constantemente, onde são dadas informações técnicas quanto a vacina e sua aplicação. Os técnicos de enfermagem e enfermeiros foram capacitados para a ação na última quarta-feira (10), com carga horária de 6 horas”.

Petrópolis

Outro caso ocorreu em Petrópolis, na região serrana. Lá também uma idosa chegou a ter o braço perfurado pela agulha, mas na seringa não havia a dose. A Secretaria de Saúde informou que tomou as providências assim que recebeu a denúncia, na sexta-feira (12) e confirmou que a seringa utilizada para vacinar a idosa estava vazia no momento da aplicação.

As equipes fizeram contato imediato com a família e a idosa foi vacinada no sábado (13). “A secretaria abriu procedimento interno de investigação para apurar a responsabilidade sobre o fato. A técnica de enfermagem é contratada e foi imediatamente afastada. A Secretaria de Saúde informou o caso ao Conselho Regional de Enfermagem, que abriu investigação interna, e ela será ouvida nesta segunda-feira”, informou a prefeitura em nota.

Para a Secretaria de Saúde, esse foi um caso isolado e o controle das vacinas está mantido. Além disso, a pasta cobra o registro de qualquer ocorrência durante a vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × dois =