Rio de Janeiro é o estado mais transparente do Sudeste sobre divulgação de dados sobre o Coronavírus

Um levantamento realizado pela organização internacional sem fins lucrativos OKBR, também conhecida como Rede pelo Conhecimento Livre, avaliou que o estado do Rio de Janeiro é o terceiro no Brasil e o primeiro no Sudeste com melhor qualidade de dados sobre a pandemia mundial da Covid-19. Somando 64 pontos de um total de 100 da avaliação, o Rio de Janeiro divulga um “bom” nível de informações, assim como o estado do Ceará. Apenas Pernambuco teve o nível de informações classificado como “ótimo”.

Para o secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, esse levantamento mostra como o Governo do Estado está empenhado em disponibilizar as melhores ferramentas para um acesso unificado e simples à informação.

‘’Desde o início do enfrentamento da pandemia, estamos trabalhando para viabilizar canais oficiais e confiáveis sobre a doença para a população. Temos site, redes sociais, atendimento telefônico, painel online e atendente virtual. Tudo disponível para todos. O objetivo é ser transparente e estar próximo da população”, explica.

Algumas informações foram divulgadas após a avaliação feita pela OKBR, como criação da plataforma painel.saude.rj.gov.br, o lançamento do chatbot Sesin Responde, disponível em chat.saude.rj.gov.br e dados sobre o Lacen, o que poderiam fazer com que o estado do Rio estivesse ainda numa melhor posição.

Para analisar a qualidade dos dados fornecidos pelos estados, o levantamento considerou três parâmetros: conteúdo, granularidade (detalhamento de informação) e formato. Disponibilidade de informações como idade e sexo, além de dados sobre a infraestrutura de saúde, testes disponíveis e aplicados configuravam pontos positivos.

Veja o ranking da transparência por estado
Nível de transparência Alto:
Pernambuco

Nível de transparência Bom:
Ceará e Rio de Janeiro

Nível de transparência Médio:
Tocantins, Minas Gerais, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Roraima

Nível de transparência Baixo:
Rio Grande do Sul, governo federal, Alagoas, Bahia, Mato Grosso, São Paulo, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Piauí, Amazonas, Acre, Goiás

Nível de transparência Opaco:
Amapá, Espírito Santo, Paraíba, Paraná, Santa Catarina, Sergipe, Pará e Rondônia.

O Índice de Transparência Covid-19 é composto por 13 critérios de avaliação, divididos em três dimensões: Conteúdo, Granularidade e Formato.
Quanto mais adequada aos padrões de dados abertos a forma de divulgação adotada pelo órgão, melhor a avaliação recebida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 9 =