Reviravolta: Justiça determina nova troca no comando do Podemos em Niterói

A novela do Podemos Niterói ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira (24). No dia em que venceria o prazo da intimação judicial para o diretório municipal entregar a Presidência a Aldemar Furtado, sob pena de multa diária a partir de amanhã (sexta, 25) caso Pedro Castilho não substituísse seu nome pelo do novo presidente no sistema do Tribunal Regional Eleitoral, Castilho obteve uma liminar, assinada pelo desembargador Gilberto Campista Guarino, da 14ª Vara Cível, suspendendo a decisão da juíza da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, Flavia de Almeida Viveiros de Castro.

A resposta do desembargador atende a uma petição encaminhada por Pedro Castilho, o atual presidente, à 2ª Câmara do Tribunal de Justiça do Rio para suspender a decisão da 6ª Vara Cível de devolver o comando do diretório municipal do Podemos em Niterói a Aldemar Furtado, destituído do cargo em 2017 pelo presidente da Executiva regional do partido, o senador Romário Faria, réu no processo. Neste ínterim, ambos realizaram suas próprias convenções partidárias e as publicaram no site do TRE, disponível inclusive para consulta pública.

Na petição, Castilho levanta a suspeita de motivos duvidosos a respeito do interesse de Furtado em requerer o diretório, diz que desconhece como o outro teria conseguido a senha do sistema do TRE para publicação de sua ata de convenção e ainda alega a ilegalidade da convenção paralela. Furtado garantiu que recorrerá desta última decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + cinco =