Reurbanização da Marquês do Paraná começa por saneamento

Raquel Morais –
Marcello Almo

Prestes a completar um mês do início das obras da reurbanização da Avenida Marquês do Paraná, iniciadas no dia 5 desse mês, as intervenções do alargamento da via, que liga Centro e Icaraí, estão em ritmo acelerado. Manilhas para esgoto e água estão sendo instaladas e ontem de manhã três caminhões descarregaram dezenas dessas estruturas no terreno. A obra está prevista para ser concluída em abril de 2020.

O movimento no canteiro de obras segue intenso e as modificações já podem ser vistas pelos motoristas e pedestres que passam pelo local. Com a amplitude da abertura do terreno pode-se ter ideia do tamanho da obra, que vai ter mudanças no trânsito, além de praça, ponto de ônibus estratégico e mais faixas de rolamento para garantir fluidez no trânsito. Será implantada uma faixa exclusiva para ônibus em cada sentido da avenida e uma ciclovia bidirecional ligando as ciclofaixas e ciclovias das avenidas Roberto Silveira (Icaraí) e Ernani do Amaral Peixoto (Centro).

O projeto prevê uma entrada na cidade mais arborizada, bicicletários ao longo da avenida e travessia segura. De acordo com nota no início do mês da Prefeitura de Niterói, com o alargamento, a Marquês do Paraná ganhará uma parada de ônibus sobre o mergulhão Ângela Fernandes, nos mesmos moldes arquitetônicos das estações da TransOceânica. O projeto prevê a reurbanização completa da via, com a implantação de calçadas acessíveis dos dois lados da avenida, novo paisagismo, melhorias na drenagem, iluminação de LED e sinalização para pedestres.

PROBLEMA HISTÓRICO
As obras no entorno da Marquês do Paraná começaram em 2017 mas entraram em ritmo acelerado em 2018 após autorização da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro; já que tinha sido embargada pelo Ministério Público (MP). Motoristas que acessam a Marquês do Paraná através da Rua Doutor Celestino também vão se beneficiar já que, atualmente, eles usam três faixas de rolamento, que se afunilam em duas e depois apenas uma faixa. Segundo a Prefeitura de Niterói, a obra será a primeira realizada com recursos obtidos através do modelo de outorga onerosa, que financiará ações do processo de requalificação do Centro. Serão utilizados R$ 11,8 milhões, dos R$ 14 milhões já pagos por investidores que tiveram seus projetos aprovados para a região central da cidade. Além do alargamento da pista também serão construídas calçadas acessíveis e uma praça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =