Retorno das aulas presenciais aquece corrida às papelarias

Augusto Aguiar

Se para os alunos a volta às aulas significa expectativa de reencontro com os colegas e professores, para os pais desses estudantes o fato significa peregrinação pelas lojas em busca dos melhores preços do material escolar exigido pelas escolas. Nas lojas de Niterói, mesmo que ainda um pouco tímida, essa busca já teve início com o anúncio da volta as aulas.

Considerada uma das mais procuradas, uma loja especializada na Avenida Visconde do Rio Branco, no Centro, oferece grande variedade de produtos e de preços também. De acordo com os lojistas, as vendas têm uma tendência de aquecimento, mas ainda é cedo para garantir alta no setor de papelaria. Para eles, o aproveitamento de estoque devido à pouca saída no ano passado por conta da pandemia, fez com que o preço de muitos produtos não tivessem tido uma alta acentuada e em outros casos, até redução de preços.

A dona de casa Lenice Linhares levou a lista de material escolar da filha de 6 anos, da classe de alfabetização, para pesquisar os preços.

“A escola (particular) pediu muitas folhas de papel (300 tamanho ofício), além de caderno, borracha, cola, etc. Também pediu máscaras e álcool em gel para prevenção da Covid-19. Só um livro, com matérias de Matemática, Português e Ciências, custa R$ 486. Mas esse tenho que adquirir na escola”, afirmou, enquanto pesquisava os preços.

“Os lojistas agora estão tendo a chance de vender mais com o retorno das aulas. Novos dos produtos também estão sendo lançados, como cadernos e mochilas estilizadas, com nomes de bandas e etc. Mas parte dos produtos as lojas já tinham em estoque”, confirmou um lojista.

Em uma papelaria na Rua Maestro Felício Toledo, também no Centro, o panorama avaliado foi diferente.

“Na comparação com o ano de 2020, a procura está sendo muito baixa por enquanto, abaixo do esperado, ainda com poucas pessoas trazendo a lista de material escolar fornecida pelas escolas. Teve alteração de preços, para cima. Não sei estimar a porcentagem, mais os preços aumentaram, de uma forma geral, que tem relação com a pandemia”, afirmou um funcionário, acrescentando ainda que produtos à base de matéria-prima de papelão registraram reajustes, por causa da escassez de determinados produtos, ocorrida em função do fechamento de algumas indústrias durante o ano passado.

“Faltou produto no mercado e aí gerou a inflação. Houve considerável aumento do preço de produtos à base de plástico, papelão e outros itens cujos preços são regidos em função da cotação do dólar”, informou.

Ano letivo

As escolas particulares de Niterói estão autorizadas a retomar suas atividades presenciais a partir do dia 1º de fevereiro, desde que obedeçam aos protocolos determinados pelas autoridades sanitárias para prevenção do coronavírus. No última quarta-feira (27) um decreto faz alterações no Plano Gradual para o Novo Normal e estabeleceu novas normas.

O ano escolar vai até 22 de dezembro. As aulas seguirão metodologia híbrida, com aulas presenciais e remotas. Já as instituições educacionais privadas deverão assinar um termo de compromisso, se comprometendo a observar todos os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias para o retorno presencial das aulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois − 1 =