Restrições para conter avanço da contaminação da Covid-19

Desde sexta-feira (19) prefeitos de vários municípios do Rio de Janeiro, governador do Rio e representantes de empresários estão se reunindo para definirem estratégias para o combate ao coronavírus. Entre as ideias estão desde um “superferiadão” entre 26 de março e 4 de abril, até auxílio do Corpo de Bombeiros no combate as aglomerações e regras específicas para cada segmento das cidades. Praias, shoppings, comércio, hotéis e outros tipos de empreendimentos poderão ter cada um as suas normas para funcionamento, ou não funcionamento.

Fábio Queiróz, presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), divulgou que na reunião o governador Cláudio Castro se declarou contra o lockdown. “O setor produtivo apoiou essa declaração e combinou o “superferiadão”, entre 26 de março e 4 de abril, três feriados extras, antecipação de feriados de São Jorge e Tiradentes. Aí sim a cidade reduza circulação nesse período. (…) Cada setor será tratado de uma maneira diferente. Gostamos muito da reunião e saímos com esperança de salvar vidas, as vidas são importantes, mas também que o impacto econômico seja o menor possível”, explicou em um vídeo.

Em um documento divulgado na internet a proposta que está sendo analisada visa mudanças em todos os dias de 26 de março até 4 de abril que incluem horários específicos em vários segmentos.

Desentendimento entre prefeito e governador

De acordo com informações de quem estava na reunião, o clima entre o Governador em exercício Cláudio Castro e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, não era dos melhores.

Paes chegou a ser ríspido com Castro quando reclamou que o governador se reuniu com empresários e não o chamou para participar da conversa. Claudio Castro disse que, como governador, tinha autonomia para reunir-se com os empresários fluminenses.

Mais uma vez, nada foi decidido na reunião.

No dia 26, primeiro dia do feriadão estão propostas as seguintes mudanças:

Comércio poderá funcionar de 8h às 17h

Serviços entre 12h às 20h

Bares e restaurantes até às 21h

Diminuição em 50% dos transportes

Hotéis 30%

Proibição de festas e eventos em qualquer natureza

Shopping center e centros comerciais com 50% da capacidade

Proibida a permanência em via pública entre 23h e 5h

Praias a critério dos municípios

Feiras a critério dos municípios

Já nos dias 27, 28, 29, 30, 31 de março e nos dias 1, 2, 3 e 4 de Abril as propostas são:

Comércio poderá funcionar de 8h às 17h

Serviços entre 12h às 20h

Bares e restaurantes até às 20h

Diminuição em 50% dos transportes

Hotéis 30%

Proibição de festas e eventos em qualquer natureza

Shopping center e centros comerciais com 30% da capacidade

Proibida a permanência em via pública entre 23h e 5h

Praias a critério dos municípios

Feiras a critério dos municípios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − cinco =